Médicos não podem fazer 'prognóstico favorável' de Samaranch

Agência AFP

BARCELONA - Os médicos que assistem ao ex-presidente espanhol do Comitê Olímpico Internacional (COI), Juan Antonio Samaranch, de 89 anos, dizem que, por enquanto, não podem fazer um "prognóstico favorável" sobre sua saúde, após sua internação em estado "muito grave".

Samaranch apresenta uma "insuficiência coronariana aguda", e por isso não se pode "emitir, por enquanto, nenhum prognóstico favorável", disse nesta terça-feira em uma coletiva de imprensa o médico Rafael Esteban Mur, diretor do serviço de medicina interna do Hospital Quirón de Barcelona.

"Não podemos ser otimistas, porque com sua idade e com as alterações crônicas inerentes, não se pode ser otimista", afirmou o Esteban Mur, que reconheceu que os médicos temem pela vida do atual presidente de honra do COI desde que ele ingressou na clínica, no último domingo.

Samaranch "está sob cuidados intensivos, está entubado com respiração assistida e tratamento farmacológico", acrescentou o médico.

"Estamos neste momento em uma situação grave esperando a evolução nas próximas horas para saber que possibilidades de recuperação podem existir', afirmou Esteban Mur.

Durante a tarde, uma fonte próxima ao próprio Samaranch afirmou que ele se encontrava em uma situação delicada, sem fornecer mais detalhes.

Presidente do COI de 1980 até 2001, Samaranch é atualmente o presidente de honra da entidade.

Apenas o barão Pierre de Coubertin, "pai" dos Jogos Olímpicos da era moderna, se manteve nas funções por mais tempo que Samaranch (1896-1925).