Sem gols, presidente do Milan coloca culpa em Leonardo

Portal Terra

ITÁLIA - O Milan marcou três gols em sua última partida pelo Campeonato Italiano, diante do Cagliari, mas o setor ofensivo não convence o presidente do clube, Silvio Berlusconi. Novamente crítico em relação ao técnico Leonardo, o primeiro-ministro da Itália colocou a culpa pelos resultados irregulares no brasileiro.

Em toda a competição, o Milan marcou 52 gols, número que lhe dá o terceiro melhor ataque, atrás apenas de Inter de Milão e Roma. Porém, alguns tropeços recentes têm irritado Berlusconi, que em março viu o time empatar em casa com Napoli e Lazio por 1 a 1. Não fossem os dois tropeços, a equipe ostentaria agora a liderança da liga, visto que está apenas a três pontos da líder e grande rival da cidade.

Segundo análise feita nesta sexta-feira pelo dirigente ao jornal italiano Corriere dello Sport, o problema é que atacantes como Marco Borriello, Klaas-Jan Huntelaar, Filippo Inzaghi, Alexandre Pato e Ronaldinho são escalados por Leonardo muito longe do gol e assim não é possível balançar as redes adversárias.

Antes de vencer por 3 a 2 o Cagliari, o Milan vinha com apenas quatro gols marcados em cinco partidas disputadas - período no qual, além de ter empatado com Napoli e Lazio, igualou-se à Roma, perdeu para o Parma e só venceu o Chievo pelo placar mínimo. Neste domingo, o clube recebe o Catania e torce para que Inter e Roma tropecem respectivamente contra Fiorentina e Atalanta.

No mês passado, o mesmo diário havia publicado duas reportagens dando conta de que Leonardo deve se transferir ao fim da temporada, irritado com interferências técnicas que Berlusconi tenta fazer, exatamente o caso da declaração concedida nesta sexta. Se esse cenário se confirmar, o ex-jogador de São Paulo e Flamengo poderia virar um dirigente de alto escalão de olho na Copa do Mundo de 2014 ou até treinador da Seleção Brasileira.