Fla e prefeitura dizem que veto partiu do governo do Estado

Portal Terra

RIO - A prefeitura do Rio de Janeiro e o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, desmentiram a informação de que o veto à realização da partida entre o time rubro-negro e a Universidad de Chile nesta quinta-feira, no Maracanã, pela Copa Libertadores, tenha partido do governo municipal. De acordo com ambos, a decisão foi do governo do Estado.

A confusão aconteceu porque o veto foi divulgado pelo Twitter oficial da Companhia de Engenharia de Trânsito do Rio, que é um órgão municipal. Posteriormente, a entidade se defendeu e apagou o post.

"É oficial. Foi uma ordem do governador", disse Braz, que também lamentou o fato de o jogo ter sido cancelado. "Atrapalha não só o Flamengo, mas também a Universidad de Chile. Eles têm um jogo importante no fim de semana e vão ter de voltar para o Chile nesta quinta-feira".

Por meio de nota de esclarecimento, a assessoria do prefeito Eduardo Paes também atribuiu o cancelamento da partida ao governo estadual. Confira o texto na íntegra:

Em função de informações equivocadas, a prefeitura do Rio esclarece que não participou de nenhuma decisão a respeito da realização ou não do jogo do Flamengo com a Universidad de Chile amanhã (quinta), no Maracanã. A Prefeitura reitera que a cidade continua em estado de atenção por causa das chuvas e que acompanhará a posição que o governo do Estado vier a tomar sobre o assunto.