Escândalo da mentira na Austrália me ajudou, diz Hamilton

Portal Terra

SYDNEY - Depois de um ano, Lewis Hamilton volta à Austrália, palco de um episódio marcante de sua carreira. Em 2009, durante o GP australiano, ele mentiu aos comissários de prova, alegando que Jarno Trulli tinha ultrapassado sua McLaren enquanto o safety car estava na pista, gerando uma punição ao então piloto da Toyota. Na verdade, ele havia recebido ordens da equipe para deixar o italiano passar. O inglês, que acabou punido pela mentira, afirmou que o escândalo foi positivo para ele.

Em entrevista à revista Autosport, Hamilton disse que, ao invés de ser algo para se esquecer, a controvérsia foi benéfica e fez dele um homem melhor. Segundo ele, suas experiências na Austrália são sempre boas e ele não vê a do ano passado (2009) como algo ruim, mas sim como um marco de vida, do qual ele aprendeu muito.

O inglês ainda lembra que seu retrospecto no país é positivo, com um pódio em sua primeira corrida na Fórmula 1, em 2007, e uma vitória em 2008. Além disso, ele analisa que fez uma boa prova em 2009 - antes da punição, ele havia chegado ao quarto posto largando das últimas posições.

Ainda sobre seu aprendizado, o piloto da McLaren disse que 2009 foi um ano duro, em que ele aprendeu muito sobre trabalho de equipe. De acordo com ele, o time faz muito, mas no fim do dia, ele que tem que se apresentar e conseguir os resultados.