Adriano: estilo paradão faz dele o recordista de impedimentos

Jornal do Brasil

RIO - Já são nove gols em nove jogos. Ótima média para um atacante. Afinal, não é qualquer artilheiro que balança a rede uma vez a cada partida. No caso de Adriano, a marca não chega a ser nenhuma surpresa: o faro de gol do Imperador continua aguçado. O que vem chamando a atenção neste temporada é a sua participação em campo. Ao contrário de 2009, quando, além de marcar, chamou a atenção pela movimentação - a ponto de ser considerado o melhor jogador do Brasileiro -, este ano ele está mais para 'dono de sauna' (vive do suor dos outros) do que para um centroavante efetivamente participativo.

Parado no ataque, Adriano tem se limitado às finalizações não que isso tire seu mérito como atacante. Foi assim, recentemente, contra Vasco e Botafogo. Praticamente tocou na bola na hora dos gols. O posicionamento na banheira faz dele o recordista de impedimentos entre os principais goleadores do Carioca. Ao todo, foram 10 impedimentos o dobro de seu companheiro de ataque e artilheiro rubro-negro no campeonato, Vagner Love. Em seguida, vêm os artilheiros Herrera, do Botafogo, com oito, e Fred, do Fluminense, com sete.

O último empate, em 2 a 2, com o Botafogo, foi emblemático. Mais uma vez, Adriano se movimentou pouco e perdeu lances, mas, novamente, aproveitou as poucas oportunidades para balançar a rede inclusive na cabeçada que igualou o placar aos 48 minutos do segundo tempo.

O Adriano cumpriu o papel. É um jogador acima da média e sempre podemos esperar alguma coisa dele avaliou o técnico Andrade.

De fato, ele cumpriu bem o seu o papel. Assim como fez contra o Vasco, quando, mesmo pesado e sem muita movimentação, cobrou o pênalti com categoria e garantiu a vitória rubro-negra por 1 a 0 no clássico. O resultado, mesmo sem brilho, é o suficiente para garantir o respeito dos colegas de equipe, como o zagueiro Fabrício, que é enfático.

O Adriano a gente define com uma palavra só: Imperador disse o zagueiro.

Apesar de ser uma figura central do Flamengo, curiosamente, os números mostram que o camisa 10 não tem sido indispensável para o êxito do time. Das 14 partidas que o Flamengo disputou sem o Imperador desde seu retorno da Europa, venceu 10 e empatou quatro. O último triunfo foi sobre o Caracas, na Venezuela, por 3 a 1.

Apesar de tudo, Adriano ainda parece ser unanimidade entre os companheiros. Mesmo após o escândalo envolvendo sua noiva e alguns colegas de equipe que deixou o atacante fora de duas partidas do Flamengo o Imperador segue protegido pelos colegas, que culpam as "pessoas ruins" da mídia. Para Bruno, a situação mostra que "é na adversidade que conhecemos os amigos".