Campeão de pesos pesados lamenta boxe feminino em olimpíada

Agência AFP

BERLIM - O ucraniano Vitali Klitschko, campeão CMB de pesos pesados, lamentou neste domingo na imprensa alemã a incorporação do boxe feminino nos Jogos Olímpicos de 2012 de Londres, destacando que "é uma modalidade para homens, não para mulheres".

"Espero que as mulheres não levam a mal, pode ser antiquado ou conservador de minha parte, mas acho que há esportes mais bonitos para elas", declarou Klitschko ao jornal Die Welt.

"Quando vejo duas mulheres no ringue, fico doente. Não, não sou fanático pelo boxe feminino. É para homens, não para mulheres", assinalou Klitschko, de 37 anos.

O ucraniano também afirmou que fará "todo o possível para dissuadir sua filha, caso queira seguir o exemplo de Laila Ali", boxeadora profissional e filha do legendário Muhammad Ali.

O Comitê Olímpico Internacional anunciou em agosto passado que o boxe feminino passaria a fazer parte dos Jogos Olímpicos de 2012 de Londres, com doze atletas em três categorias: mosca (48-51 quilos), leve (56-60 quilos) e médio (69-75 quilos).