Já vendido, Wellington Silva não queria deixar Flu sem pisar no Maraca

Tiago Leite, Jornal do Brasil

RIO - Na goleada por 5 a 1 contra o Friburguense, na estreia da Taça Rio, Wellington Silva mostrou ser diferente dentro e fora de campo. Com a bola nos pés, o atacante de 17 anos partiu para cima dos zagueiros esbanjando personalidade. Sem ela, a emoção de atuar pelos profissionais no Maracanã se transformou em lágrimas antes, durante e depois do jogo, numa cena rara atualmente.

Ao contrário da maioria dos garotos de sua idade, que ainda vislumbram um espaço no futebol, Wellington já tem seu futuro garantido. Vendido para o Arsenal, da Inglaterra, por R$ 10 milhões, o jovem atacante irá se transferir para o novo clube quando completar 18 anos nasceu no dia 6 de janeiro de 1993. Mas o que faz um menino prestes a ir para a Europa chorar de emoção por jogar no Maracanã? A resposta está na realização de um sonho de infância.

Para o Arsenal é indiferente se ele fizer sucesso aqui ou não. Mas, para o Wellington, sair do Fluminense sem jogar no profissional seria muito triste. A emoção dele nesse momento é muito intensa. Tenho certeza que, embora esteja negociado, ele vai se dedicar ao máximo pelo time disse Reinaldo Pitta, empresário que intermediou a negociação com o Arsenal.

Criado na Vila da Penha, subúrbio do Rio, Wellington Silva chegou nas divisões de base do Fluminense com 12 anos, e desde então é visto como uma das maiores promessas do clube nos últimos tempos. A menos de um ano de se despedir do Brasil, a comissão técnica decidiu incorporá-lo aos profissionais. Nas duas oportunidades que teve, mostrou seu talento e encheu a torcida tricolor de esperança.

A consequência do iminente sucesso será o assédio e a exposição pessoal. Mas a humildade à frente dos microfones depois da partida mostrou um garoto consciente das dificuldades da vida e do futebol.

Ele vai tirar isso tudo de letra. O Wellington é de uma humildade inacreditável, é só coração. A chance dele dar errado é zero diz Pitta.

O Arsenal estava de olho em Wellington Silva há cerca de três anos. O técnico do time inglês Arsène Wenger desde então pediu sua contratação, que foi concluída no final do ano passado.

O futebol já trouxe mudanças para a família de Wellington, que saiu da Vila da Penha para a Barra da Tijuca. A próxima parada será Londres, onde o atacante irá acompanhado dos pais e dos quatro irmãos, que estudarão no país. Um sonho realizado domingo e garantido nos próximos anos.

Camisa do Fla gera polêmica

Na mesma rapidez com que mostrou seu talento, Wellington Silva já se envolveu numa polêmica. Segunda-feira, foi divulgada na internet uma foto em que o atacante tricolor aparece vestindo a camisa do Flamengo. O vice de futebol Alcides Antunes tratou de minimizar o fato.

É uma situação muito chata, ele vestiu a camisa há anos atrás. Isso não nos incomodou. É um jogador que sempre se destacou no Fluminense. A torcida vai continuar a aplaudi-lo. O Wellington Silva está focado, comprometido disse Antunes.

O dirigente disse confiar no carinho que Wellington tem pelo clube tricolor.

Ele me disse que, antes de ir embora, quer retribuir tudo que o Fluminense fez por ele.