Emocionado, Berlusconi telefona para celebrar 1º ouro italiano

Portal Terra

VANCOUVER - Ganhadora de cinco medalhas de ouro na Olimpíada de Turim, em 2006, a Itália não passará em branco quatro anos depois, em Vancouver, graças a Giuliano Razzoli, campeão da prova de slalom do esqui alpino. A vitória significou tanto para o país que o atleta foi cumprimentado por dois nomes de peso na noite de sexta-feira: o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, e o presidente, Giorgio Napolitano.

À agência italiana Ansa, Berlusconi declarou-se emocionado logo após a prova de slalom, que rendeu alegrias à todo o país, segundo o político. Para celebrar, ele até telefonou a Vancouver, cumprimentando pessoalmente o presidente do Comitê Olímpico Italiano (Coni), Gianni Petrucci, já que no momento da ligação Razzoli estava recebendo a medalha de ouro.

Com um telefonema em um horário mais oportuno, o presidente da Itália, Napolitano, conseguiu falar com Razzoli. De acordo com o que o atleta divulgou aos repórteres em Vancouver, a conversa chegou até a ser bem humorada. "Presidente, chame-me de 'você', eu que tenho de chamá-lo de 'senhor'", afirmou ele ao mandatário, que até aquele momento vinha utilizando um tratamento formal para se referir ao atleta, 25 anos.

Campeão, o jovem igualou seu ídolo e atualmente mentor, Alberto Tomba, que triunfou no slalom também no Canadá (em Calgary 1988), e diminuiu a frustração italiana na atual Olimpíada. "Em casa todo mundo estava desapontado. Havia muita pressão, mas tentei não pensar nisso e apenas esquiar da melhor maneira possível", disse.

Antes da medalha de ouro do sábado, a Itália só havia conquistado uma prata e três bronzes. Muito pouco para um país que em Turim fechou sua participação no nono lugar, com cinco ouros e seis bronzes.