Saiba os segredos da prancheta campeã de Joel Santana

Dassler Marques, Portal Terra

RIO - O título da Taça Guanabara com o Botafogo é mais um item na lista de façanhas de Joel Santana, que jamais perdeu uma decisão de turno no Campeonato Carioca. Demitido na África do Sul às portas da Copa do Mundo, o Natalino, como é conhecido, pegou um time goleado por 6 a 0 e o conduziu até o topo do Rio de Janeiro.

Famoso por sua prancheta inseparável, Joel deu nova identidade à equipe, que investiu nas bolas altas e na marcação firme para colher sucesso. Segundo dados do Footstats, o Botafogo lidera vários índices da Taça Guanabara, o que atesta a mentalidade trazida pelo novo treinador, que participou de cinco dos nove jogos da campanha.

O Botafogo é o time mais cruza na área em todo o campeonato, com média de 23,3 bolas alçadas por jogo. Entre os grandes cariocas, é ainda o que mais arrisca lançamentos e rebate bolas da área. Troca menos passes, tem menor posse de bola e finaliza menos que o Vasco, o Flamengo e o Fluminense.

Na comparação de dados do Botafogo com Estevam Soares e Joel Santana, a mudança mais significativa foi na diminuição da posse de bola, que caiu de uma média aproximada de 14min para 12min. Nos jogos contra Flamengo e Vasco, os botafoguenses definitivamente entregaram a bola para os rivais e trabalharam com uma média inferior a 11min de posse.

Um avanço bastante considerável ao Botafogo sob o comando de Joel é em relação ao número de desarmes. Com o antigo treinador, a equipe tinha uma média de 18 recuperações de bola, que cresceu para 29 a partir do trabalho do novo treinador.

Fábio Ferreira, Leandro Guerreiro, Wellington e Alessandro são os jogadores que mais se destacam nesse quesito em que o Botafogo terminou como quinto colocado da Taça Guanabara.