Ex-leiloeiro, canadense comemora ouro dramático e redentor

Portal Terra

PORTAL TERRA - Jon Montgomery não conseguia conter a euforia após garantir o quarto ouro para o Canadá nos Jogos de Inverno. Em uma disputa dramática, o atleta superou o letão Martins Dukurs e fez a festa da torcida local após seguidas frustrações no skeleton.

"Isso foi estupendo, acho que é esta a palavra. É um escândalo, é inacreditável, todas essas sensações rolam em uma bola e caem sobre mim. Não tenho palavras para descrever o que aconteceu", disse o atleta, que, antes de brilhar no esporte, foi leiloeiro e vendedor de carros .

O ouro só foi definido nos minutos finais. Montgomery foi o penúltimo a ir à pista na última prova e, aos gritos de "Johnny, Johnny, Johnny" da torcida que lotou o Whistler Sliding Center, completou o percurso em 52s36.

O tempo deixou o canadense provisoriamente em primeiro. Dukurs, que liderava desde a primeira das quatro provas da decisão, veio a seguir e, com o tempo de 52s61, foi superado por apenas 0s07 por Montgomery na soma total, amargando a prata.

"Fiquei roendo minhas unhas", disse o canadense sobre os momentos que antecederam o ouro. "Mas estava satisfeito com minha performance. Desde ontem (quinta) percebi que seria uma disputa dura, mas acreditava que dava para ganhar".

Além dos contornos dramáticos, o ouro de Montgomery garantiu a redenção do país-sede do skeleton após seguidas frustrações. A primeira com Mellisa Hollingsworth, uma das favoritas no feminino. Ela estava em segundo até a última prova, quando, com uma atuação desastrosa, despencou para o quinto lugar.

No masculino, Jeff Pain, prata na Olimpíada de Turim em 2006, decepcionou e foi apenas o décimo colocado. "Infelizmente não consegui dar o meu melhor com o Canadá me assistindo", disse. Outro local, Michael Douglas fez pior e acabou desclassificado após se atrasar na hora de fazer a inspeção do trenó.

Entenda a prova de skeleton dos Jogos de Inverno

O skeleton recebeu este nome porque o trenó usado na modalidade, feito de metal e fibras de vidro, lembra o formato do esqueleto humano. É disputado no Whistler Sliding Center, mesmo local do bobsled e do luge, e, assim como estes dois esportes, tem a largada como momento decisivo.

Para este momento, os atletas usam um calçado de aderência especial e ganham velocidade correndo pelos primeiros 50 metros. Em seguida, se posicionam no trenó de barriga para baixo e descem a montanha, se jogando de um lado para o outro para direcionar o veículo.

O skeleton é disputado apenas em provas individuais. São quatro corridas em dois dias de disputa. Quem tiver o menor tempo total é campeão olímpico.