Vitória do Flamengo com muito amor

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - O palco não era o ideal. Mas Vagner Love fez do gramado lamentável do Engenhão o seu Maracanã. Na sua estreia, com um público pequeno nas arquibancadas do estádio, ele desfilou com um repertório grande de jogadas e ainda marcou dois gols - os únicos da vitória do Flamengo por 2 a 1 sobre o Bangu. O jogo marcou também a volta aos gramados de Adriano, que formou a badalada dupla de ataque com Love. O duo ainda virou um trio no segundo tempo, quando Petkovic entrou em campo. O Flamengo manteve os 100% de aproveitamento no Carioca.

Exceto por alguns lampejos do habilidoso meia Tiano e da insistência do atacante Somália, o Bangu quase não ameaçou o Flamengo no primeiro tempo. No início, até parecia que o confronto seria um pouco mais equilibrado. Mas logo o time rubro-negro tomou conta das ações e os gols foram saindo naturalmente até com boa dose de boa vontade da zaga alvirrubra.

Foi assim que Vagner Love conseguiu marcar seu primeiro gol pelo Flamengo. Aos 18 minutos, o volante Fernando havia feito uma bonita jogada: matou a bola no peito, deu um drible no defensor do Bangu e chutou de fora da área. Primeiro, o goleiro Marcos Leandro falhou ao rebater para o meio da área. E aí Vagner Love não perdoou. Bem colocado, o atacante foi mais rápido que a lenta zaga banguense e dividiu com o goleiro. A bola morreu de mansinho dentro da rede. Quase todos os jogadores do Flamengo foram comemorar com Love, já querido pelos companheiros mesmo com pouco tempo de clube.

A dupla Love e Adriano não decepcionava em campo. Quase toda vez que um deles pegava na bola, um lance perigoso acontecia. Aos 24, por exemplo, Love partiu em disparada pela direita, deu um drible de corpo no defensor e rolou para Kleberson. O meia passou para Adriano, que ficou livre na área para marcar. O Imperador soltou uma bomba no travessão. No minuto seguinte, Adriano chutou novamente da entrada da área, desta vez com a perna direita.

Aos 46, Adriano ajudou Love a marcar o segundo ao desviar uma bola de cabeça. Quem ajudou também foi a zaga do Bangu, que mais uma vez ficou assistindo Vagner Love correr na frente e dividir com o goleiro. O atacante ainda deu um leve toque antes de a bola entrar.

Dois minutos depois, o árbitro Wagner dos Santos Rosa marcou um pênalti duvidoso de Vinícius Pacheco em cima de Somália. Tiano bateu com classe e diminuiu. Foi primeiro gol do Bangu no Carioca.

Bruno salva no fim

O panorama do jogo não mudou muito no segundo tempo. Vagner Love continuava com muita vontade de estrear bem com a camisa rubro-negra. Ele deu combate no meio-de-campo e ainda distribuiu dribles. Adriano, por sua vez, tentava fazer o seu gol. Apesar de conseguir realizar boas jogadas, ainda pecava na finalização. Aos nove minutos, por exemplo, dominou a bola na entrada da área, driblou um zagueiro e bateu cruzado. A bola quase saiu pela linha lateral. Coisa de quem só voltou a jogar agora, depois de um mês e meio sem participar de uma partida.

Sem marcar, o Flamengo chegou a passar algum perigo. Aos 35, Bruno salvou o time com uma defesa com os pés. Depois, assistiu à bola passar bem perto de sua baliza após um chute forte de Gustavo Corrêa. No último minuto de jogo, Vagner Love ainda recebeu uma bola açucarada dentro da área, driblou o zagueiro, mas bateu em cima do goleiro. Seria o mais bonito gol do dia se fizesse.