R. Carlos tem estreia discreta, sai lesionado e dá susto em torcida

Celso Paiva, Portal Terra

SÃO PAULO - A expectativa era grande do lado de fora do Estádio do Pacaembu. Na Praça Charles Miller, entrada tradicional dos torcedores corintianos já era possível ver camisas 6 dividindo espaço com a 9 de Ronaldo. O frenesi pela chegada de Roberto Carlos fazia com que todos torcedores entrevistados pelo Terra acreditassem em um gol do lateral em sua estreia com a camisa corintiana no duelo contra o Bragantino.

Dentro do estádio, o clima era o mesmo. Ao ser anunciada a escalação da equipe do técnico Mano Menezes, o Pacaembu quase veio abaixo quando se ouviu o nome do camisa 6. Roberto Carlos entra em campo e sente pela primeira vez o que é a massa corintiana o ovacionando em uma partida.

Primeiro toque na bola, primeiros gritos da torcida. Logo em seguida, o Corinthians abre o placar em uma jogada sem participação do lateral. Mesmo assim, Roberto Carlos atravessa o gramado e vai abraçar Elias, autor do gol.

A partida vai se desenrolando. Roberto Carlos dá carrinho, mostra empenho, mas fica mais preocupado em proteger o setor defensivo do que ajudar o ataque. Faz poucos apoios a linha de fundo como na época em que brilhava com a camisa da Seleção Brasileira.

Em uma de suas subidas para o ataque, o Bragantino chega ao gol. O ataque dos visitantes avança, Roberto Carlos tenta alcançar, mas não impede que a bola chegue para Paulinho igualar o marcador no Pacaembu.

A tentativa de fazer o tão sonhado gol que a torcida queria antes do início da partida parecia que só seria possível em bolas paradas. Aos 41min do primeiro tempo, Roberto Carlos teve sua primeira chance. A bola passou pela barreira, mas acabou na mão do goleiro para os gritos de "Uhhh" da torcida.

Na segunda etapa, debaixo de muita chuva, Roberto Carlos seguiu pouco efetivo no setor ofensivo. Aos 5min, mais uma chance em bola parada. O lateral fez sua tradicional "corridinha" antes da cobrança, mas acertou a barreira.

Sentindo o ritmo de jogo, o lateral mostrou experiência para se conservar em campo, mas sem o ímpeto que dele se esperava. Coube ao coadjuvante Jorge Henrique brilhar, exatamente pelo lado esquerdo. Um dos principais nomes do time alvinegro na partida, o atacante marcou o segundo gol em chute cruzado e salvou o Corinthians na estreia de Roberto Carlos.

O lateral parecia que iria até o fim da partida, mas um lance aos 32min pôs um fim ruim ao seu primeiro jogo no time alvinegro. Ao tentar dar um carrinho na lateral esquerda, o jogador perdeu o controle por conta do gramado molhado, foi parar no meio do banco de reservas do Corinthians e teve de ser substituído por Boquita com dores nas costas. O torcedor corintiano deixou o Pacaembu feliz com o resultado, mas apreensivo com a situação da sua grande contratação na temporada 2010.