Prefeito de Monza critica anúncio sobre GP de Fórmula 1 em Roma

Agência ANSA

ROMA - O prefeito de Monza, Marco Mariani, criticou a capital italiana, Roma, que anunciou já ter firmado um acordo para sediar pela primeira vez um Grande Prêmio de Fórmula 1, o que deve ocorrer a partir de 2012.

- É o último ato de arrogância de uma capital parasita que há dois mil anos vem tirando o oxigênio das outras cidades - disse Mariani ao comentar o anúncio feito neste domingo pelo organizador do evento, Maurizio Flammini, e confirmado pelo prefeito de Roma, Gianni Alemanno.

Monza, que recebe uma das etapas da Fórmula 1, teme a concorrência com a capital italiana, que seria mais atrativa aos turistas e tiraria, assim, o espaço conquistado pela cidade, cujo Grande Prêmio é o seu maior evento do ano.

De acordo com o contrato firmado com Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da competição, o circuito na capital italiana será incluído na Fórmula 1 em 2012 e terá duração de dez anos.

- Será um Grande Prêmio espetacular. O circuito será como o previsto, no bairro Eur, onde há três pontos para ultrapassagem - disse, por sua vez, Flammini, que contou também que para a corrida será "construída uma estrada embaixo da avenida Cristoforo Colombo".

Alemanno, por sua parte, pediu que o acordo não seja interpretado de forma negativa. - Não é verdade que será uma alternativa a Monza, que já tem um Grande Prêmio do circuito. O Grande Prêmio de Roma visa ser integrado ao de Monza e não substituí-lo na competição - afirmou.

Ainda segundo o prefeito, Roma deverá ganhar 1 milhão de euros (equivalente a R$ 2,6 milhões) por ano com o evento.