Romário entra em campo na quarta, mas não treina

Hilton Mattos e Rafael Gonzalez, Jornal do Brasil

RIO - Os tempos são de comemoração no América. Depois de garantir o acesso à primeira divisão do estadual no ano que vem ao derrotar por 1 a 0 o Nova Iguaçu no último sábado, o Diabo entra em campo novamente nesta quarta-feira, contra o Artsul, às 20h, no Giulite Coutinho, querendo o título da segunda divisão fluminense. A festa alvirubra terá um ingrediente a mais desta vez. Romário voltará aos gramados, aos 43 anos, com a camisa do América, fazendo justiça ao velho slogan "Treinar pra quê?".

- Decidi que vou jogar a próxima partida, contra o Artsul, na quarta-feira. Só não sei dizer ao certo quanto tempo ficarei em campo - contou o Baixinho.

A segunda parte da afirmativa se justifica. Romário não participou, nem participará de um treinamento sequer antes do jogo: o atacante e manager do América estava em Madri, na Espanha, e volta de viagem somente nesta quarta-feira, durante o dia. À noite, promete entrar em campo.

- A situação do Romário já estava regularizada na Federação, ele está inscrito e jogará contra o Artsul para homenagear o pai Edevair, para quem ele havia prometido que entraria em campo pelo América numa partida oficial. Essa participação do Romário também é importante para comemorar o papel importante que ele teve neste ano de 2009 - conta Ulisses Salgado, presidente do clube.

Para chegar ao título da competição antecipadamente, o Mecão tem de vencer seu rival e torcer para que o Olaria não derrote o Goytacaz, em Campos. O caneco será o emblema de um ano de reestruturação do segundo time de todo carioca - como é carinhosamente conhecido o América, sete vezes campeão estadual no Rio.

Temporada de reestruturação

Os 105 anos do clube vieram em temporada que iniciou com a tristeza de estar fora do Campeonato Estadual da Primeira Divisão. Mas, durante o ano, a diretoria do América pôs em prática um trabalho administrativo para reerguer o time.

O primeiro passo do presidente Ulisses Salgado foi convidar Romário para fazer parte do projeto "América, patrimônio do Rio". A jogada de marketing deu certo e o Baixinho assumiu em abril o cargo de manager.

Em seguida, iniciou-se a busca por parceiros. Fluminense e Botafogo ofereceram ajuda ao clube e a empresa médica Unimed foi anunciada como patrocinadora. Nesse ponto, Romário teve participação atuante ao estreitar as relações entre o clube e o presidente da empresa, Celso Barros.

Novos investidores ainda apareceriam e logo a Summerville, modesta fornecedora de material esportivo, foi substituída pela gigante Penalty. O patrocinador passou a investir R$ 150 mil mensais, gastos somente em despesas com o futebol. O canal fechado Sportv, da Globosat, ainda garantiu transmissões de jogos do América.

A concentração - claro - foi abolida por Romário e o time, mesmo sem grandes nomes, conseguiu o retorno à elite do futebol carioca.

- As perspectivas são boas para 2010. Fomos ao fundo do poço e, este ano, demos o primeiro passo de um projeto que pretende nos colocar rumo à elite do futebol brasileiro - explica o presidente Ulisses Salgado.