Há 28 anos, Flamengo conquistava a Libertadores

JB Online

RIO - Tudo aconteceu no dia 23 de novembro de 1981, no terceiro confronto com a equipe do Cobreloa, do Chile. Depois de vencer no Maracanã, por 2 a 1, e perder em Santiago, por 1 a 0, o Flamengo teve que disputar com o Cobreloa um jogo extra, em um país neutro - o palco escolhido foi o mítico estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, num jogo realizado numa segunda-feira.

Sem poder contar com Lico, lesionado por causa das agressões dos chilenos, Paulo Cesar Capergiani formou a equipe com Leandro no meio e Adílio na função de Lico. O time que entrou no gramado, com a bandeira uruguaia nas mãos, formou com Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer, Júnior, Leandro, Andrade, Zico, Tita, Nunes (depois Anselmo) e Adilio.

E os brasileiros fizeram prevalecer seu melhor futebol. Com dois gols de Zico, o Flamengo derrotou o Cobreloa e finalmente chegou ao topo da América, ganhando até então seu título mais importante, o da Libertadores da América. Triunfo que credenciou o clube para disputar no mês seguinte o Mundial, no Japão, com o campeão europeu, o Liverpool - jogo que entraria para a história.

Mauricio Neves, advogado e professor universitário, e colaborador do site oficial do Flamengo, onde assina um blog ( https://www.flamengo.com.br/site/blog/blog.php?id=5), narra como foi construída a vitória sobre o Cobreloa: ''E como jogou Adílio naquela noite, como se o fizesse por ele, por Lico e pelos milhões de rubro-negros. Aos 17 do primeiro tempo ele recuperou uma bola na área chilena e entregou a Andrade, que achou Zico no meio da área. Zico acertou um voleio no canto direito e abriu caminho para o título. Pouco depois, Alarcon cometeu uma falta violenta em Adílio, como se ainda contasse com a impunidade que reinou em Santiago, mas foi expulso por Roque Cerullo.

O Cobreloa continuou batendo, e em um lance de revide, Andrade também foi expulso. Ainda assim, na bola só dava Flamengo, e aos 30 minutos Adílio escapou livre e tentou um toque para encobrir o goleiro Wirth, que já estava fora da área e impediu o drible com as mãos. Falta na entrada da área. Adivinha quem vai bater, pergunta a música, adivinha quem vai bater com a perfeição costumeira, deixando o goleiro chileno congelado no lance? Zico, rei da Nação Rubro-Negra, botou a sua assinatura inconfundível na sentença que declarava o Flamengo o melhor time da América do Sul.

Ainda houve tempo para o reserva Anselmo entrar no jogo e devolver as agressões a Mario Soto, que havia deixado escoriações em Adílio, Lico, Zico e Tita. Mas o que todos queriam era mesmo começar a festa, que seria curta porque ainda havia um campeonato carioca por conquistar e uma longa viagem para Tóquio na metade de dezembro, e todos mereciam festejar aquela taça conquistada com sangue, suor e talento''.

Informações do site do Flamengo