Turismo e marketing marcam seminário das cidades sede da Copa de 2014

Portal Terra

RIO - Turismo e marketing foram os temas centrais do terceiro seminário para as cidades sede da Copa de 2014, nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro. O evento começou cerca de trinta minutos depois do horário previsto, 9h (de Brasília), e seguiu até às 16h15.

Apesar dos temas centrais amenos, questões em relação a verbas para melhoria de infra estrutura das cidade sede, indicaram que ainda não há muitos motivos para se comemorar, no que diz respeito ao legado que tanto se espera de eventos internacionais de grande porte.

- Está se falando muito em marketing e turismo, mas eu gostaria de saber se existe alguma contribuição ou pré disposição da Fifa em contribuir para que as cidades sede apresentem a estrutura exigida para uma Copa do Mundo - questionou Roberto França, de Cuiabá, em tom de cobrança.

- Precisamos saber qual o montante que o governo irá disponibilizar para avançarmos nos projetos executivos. Estes projetos levam tempo. Vocês ainda não nos disseram quando teremos essa informação - emendou o prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, referindo-se ao presidente do comitê, Ricardo Teixeira, e a gerente geral, Joana Havelange.

Outro ponto que literalmente esquentou o seminário, foi um problema no ar condicionado do auditório do hotel, antes mesmo de o evento começar. Ventiladores foram providenciados para amenizar a sensação provocada pelo calor de aproximadamente 40 graus na capital carioca.

O presidente do Comitê Organizador da Copa de 2014 e da CBF, Ricardo Teixeira, foi quem abriu o seminário. Já as apresentações sobre os temas foram feitas pelo ministro do turismo, Luiz Barreto, e pela presidente da Embratur, Jeanine Pires.

Integraram a mesa de discussão também o consultor do consórcio da Copa de 2014, William Field, a gerente geral do Comitê Organizador da Copa de 2014, Joana Havelange, outros representantes do comitê e representantes do ministério do esporte.

- Os planos para o turismo devem seguir alguns alinhamentos em relação a como queremos vender o Brasil para o exterior. Para isso precisamos contar com esforços das cidades, dos governos estaduais, do governo federal, da CBF e da Fifa. Queremos projetar a imagem de que não somos o país do futuro, mas sim do presente - declarou o ministro do turismo, Luiz Barreto.

A presidente da Embratur exaltou a importância do consenso para uniformizar as propagandas das cidades sede.

- O Brasil é um país tão grande e tão diverso que se todos saírem mudando, inventando, fica difícil. Cada um deve adequar a sua propaganda ao símbolo que for aprovado pela FIFA - disse Jeanine Pires.

As apresentações foram do início das atividades até as 13h (de Brasília) e das 14h às 16h15m, quando o evento foi encerrado, representantes das cidades sede tiveram a oportunidade de fazer perguntas para os integrantes da mesa.