Sem Fred, Flu tem o 2º pior retrospecto na era dos pontos corridos

Julio Calmon, Jornal do Brasil

RIO - Ao ver o Fluminense contratar Fred no início do ano, o torcedor tricolor jamais imaginaria viver um pesadelo como agora com o time brigando para sair da degola no Campeonato Brasileiro um ano depois de ter disputado a final da Taça Libertadores da América. Longe de voltar a participar da principal competição do continente, o Fluminense conta com o atacante para ao menos fazer bonito na Copa Sul-Americana. A vitória quinta-feira, contra o Universidad do Chile, em Santiago, às 21h15, dará a classificação ao tricolor para as semifinais. Se o empate for por um placar acima de 2 a 2, o Fluminense também fica com a vaga.

Precisando fazer gols, a boa atuação de Fred poderá ajudar muito em uma possível classificação. Basta ver o retrospecto recente do atacante desde que retornou de uma complicada contusão. Invicto há sete jogos, somando partidas do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-Americana, Fred atuou nos últimos seis compromissos do time. Seu aproveitamento é impressionante. Marcou seis dos últimos 13 gols do Fluminense, além de ter participação direta em outros dois.

Mesmo assim, há quem torce o nariz para ele. Ao não comemorar os dois gols na virada sobre o Cruzeiro, no domingo, Fred até incomodou alguns torcedores mais fanáticos. Por isso, o coordenador de futebol Branco admitiu publicamente que não vê problema na atitude do atacante desde que ele continue a balançar as redes com a camisa tricolor.

É um jogador importante. Referência no ataque, segura a bola, faz com que os meias cheguem e é goleador acima de tudo. Fez dois gols contra o Cruzeiro e está passando a sua experiência e qualidade em prol da garotada e do grupo. O espírito dele é o melhor possível e espero que continue assim disse Branco, em entrevista à Rádio Brasil.

Se com ele não está fácil vencer, sem o atacante é quase impossível. Quando não pôde contar com Fred, o Fluminense tem um dos piores aproveitamento da história do Brasileiro só melhor que o do América-RN em 2007. Sem ele em campo, o time tricolor só conseguiu fazer 24,07% dos pontos disputados. Ao todo, Fred já participou de 15 partidas neste Brasileiro venceu cinco, empatou cinco e perdeu cinco, com um aproveitamento de 44,44%. Para comparar, Vitória e Barueri, na 11ª na e 12ª posições, respectivamente, tem o mesmo rendimento hoje. Além disso, é o artilheiro do Fluminense com oito gols marcados.

O atacante também fez boa partida pela Copa Sul-Americana na única vez em que esteve em campo. Foi no empate em 2 a 2, na partida de ida contra o Universidad do Chile. Fred marcou os dois gols e infernizou a defesa adversária com seu bom posicionamento na área.

Se dentro de campo o atacante tem dado resposta, fora dele Fred ainda tem deslizado. Repercutiu muito mal, por exemplo, uma suposta ida dele à praia para surfar depois de ter recusado a enfrentar o Corinthians, no Maracanã, mesmo liberado pelo departamento médico do clube tricolor.

O jogador se irritou com a situação. Desde então, tem evitado o contato com a imprensa. Fred chegou a dizer que seus únicos canais de comunicação com o torcedor seriam seu blog oficial e seu twitter.

Não posso evitar a mágoa em relação àqueles que insinuam que faço corpo mole. Mesmo depois de lerem em meu blog que, por três vezes, joguei no sacrifício, aqui, no nosso Fluzão. O resultado da minha vontade de vencer e ajudar a tirar o time da situação em que se encontra foi, justamente, a lesão mais grave que já tive em toda a minha carreira , escreveu Fred, em seu blog oficial, logo após o episódio do surfe.

Fred sofreu uma grave contusão na partida contra o Atlético-MG, no dia 23 de julho. Logo após chutar uma bola, o atacante sentiu dores na virilha e precisou ser substituído. Foram 15 rodadas (dois meses) fora da equipe. O reencontro com a torcida tricolor ao menos é acompanhado de muitos gols o que tem ajudado o time a ainda se manter vivo no Brasileiro.

Quero ver o Maracanã lotado no domingo. Temos que reviver o espírito do jogo com o Corinthians, pela Copa do Brasil, quando os torcedores nos contagiaram com sua animação. Também não esqueço a partida contra o Atlético-MG, quando não tinha tanta gente nas arquibancadas, mas a vibração deles motivou a equipe e foi decisiva para aquela vitória afirmou o artilheiro tricolor, desta vez ao site oficial do clube. O casamento do time com a torcida é muito importante e temos que juntar essa energia dentro e fora do campo para conseguir os três pontos, que são fundamentais para nós.

Classificação para dar moral na luta contra o descenso

Precisando vencer o Universidad do Chile ou ao menos empatar por um placar acima de 2 a 2, resultado da primeira partida, disputada no Maracanã, o Fluminense tentará a inédita classificação para as semifinais da Copa Sul-Americana. O jogo será disputado no Estádio Santa Laura, do Unión Española, já que o Estádio Nacional de Santiago (onde o Universidad manda seus jogos) está em obras.

Sem poder contar com os titulares Equi González e Dieguinho, que não foram inscritos na competição, o Fluminense vai a campo com o trio de zagueiros formado por Gum, Dalton e Digão. Na lateral esquerda, João Paulo substitui Dieguinho. A esperança de gols, mais uma vez, fica por conta do artilheiro Fred.

Mesmo com a possibilidade de classificação, os jogadores e dirigentes não conseguem esconder que a prioridade é se manter na Série A do Campeonato Brasileiro no ano que vem. Branco, por exemplo, quer a classificação para manter o time motivado para enfrentar o Palmeiras, no domingo.

Se passarmos para a semifinal ganharemos moral para o grupo nesta reta final de Brasileiro declarou coordenador de futebol tricolor.

O adversário de quinta-feira foi eliminado no último fim de semana do Torneio Clausura, após perder o clássico contra o Universidad Católica por 3 a 2.