Flu: criticado enquanto esteve machucado, Fred responde com gols

Hilton Mattos, Jornal do Brasil

RIO - Os mais de 70 dias parado em tratamento de uma séria lesão muscular foram contados nos dedos com sede de vingança. Não é para tanto, até porque o pacato Fred não é de alimentar sentimento compatível. Mas o desejo de voltar aos gramados tinha por trás o desabafo, com gols, às críticas que considera injusta enquanto esteve fora. E a resposta veio na heroica virada sobre o Cruzeiro. O atacante marcou duas vezes na vitória de 3 a 2, domingo, no Mineirão. Foi o sexto gol do artilheiro tricolor em seis partidas números que trazem alívio e reforçam as esperanças da torcida do Fluminense contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Sempre estive confiante que voltaria em grande forma. Sempre confiei muito no meu potencial. Só não entendi a cobrança sobre mim quando todos sabiam que eu estava machucado e não podia jogar diz o atacante, ainda incomodado.

O aproveitamento do atacante na temporada, se analisado friamente, corresponde às expectativas. Em 26 jogos, Fred balançou a rede 15 vezes média de 0,57. Ele voltou contra o Santo André. Curiosamente, o Fluminense, que andava mal de artilheiro, marcou 13 vezes, sendo dois em cinco partidas e três contra o Cruzeiro.

Além dos gols, Fred se saiu muito bem nas assistências. Contra o Santo André, fez de pênalti e deu passe para Alan abrir a contagem. No jogo seguinte, empate em 2 a 2 com o Inter, no Beira-Rio, passou em branco tanto nas conclusões quanto nas assistências. Veio a Copa Sul-Americana e o artilheiro marcou duas vezes no 2 a 2 com o Universidad do Chile.

Na sequência, novo empate, desta vez contra o Goiás, no Serra Dourada. Fred não balançou a rede, mas deu deu passe gol o gol de Mariano e sofreu a falta que Equi Gonzalez converteu. Na quinta-feira, no Maracanã, fez um de pênalti na vitória de 2 a 1 sobre o Atlético-MG. E no domingo foi o herói da reação tricolor em cima do Cruzeiro, em pleno Mineirão. Resumindo, dos 13 gols do Fluminense, o atacante só não teve participação direta em três.

Com os números falando a favor, o atacante tricolor se defende.

Não podia jogar, então não podia ajudar. Estava sendo usado para Cristo. A única ajuda que podia dar era fazendo gol, mas sem jogar não dava. Não acho justo o que fizeram. Por isso falei: Tenho que trabalhar, procurar o melhor . E agora estou aí, ajudando com gols disse o jogador.

O artilheiro avisa que ainda não está cem por cento. Pelo tempo em que esteve fora de combate, precisa de mais algumas partidas para estar melhor embora restem apenas cinco jogos para o fim do Campeonato Brasileiro. Por falar em contas, o clube tem 89% de rebaixamento na competição. Depende, matematicamente, de mais 12 pontos para escapar da queda. Na penúltima colocação, enfrenta o Palmeiras, domingo, no Maracanã, embalado pelas duas vitórias seguidas contra os times mineiros e pela invencibilidade de 10 partidas. A última derrota tricolor foi para o Flamengo, dia 4 de outubro. Desde então, foram sete jogos, quatro empates e três vitórias.

Eu não penso em percentual, não penso no jogo seguinte. Penso no Palmeiras. Penso em ganhar. A briga lá embaixo é a mesma para ser campeão. É uma guerra. Disse que, se passássemos pelo Cruzeiro, daríamos um passo importante para escapar do rebaixamento. Agora falo o mesmo sobre o Palmeiras disse o atacante, otimista.

Claro que acredito. O time está querendo muito isso, todos aqui se ajudam, o clima é bom. Vamos escapar.

Comemoração tímida

Sobre a tímida comemoração contra o Cruzeiro, Fred esclarece que apenas respeitou o clube que o projetou para o futebol internacional. Os dois gols, ressalta, provam que não faltou profissionalismo.

Queria compreensão da torcida. E todo torcedor do Fluminense pode ter certeza que se um dia eu enfrentar o Fluminense eu nunca vou comemorar um gol pelo carinho pela torcida comentou o jogador.

O coordenador de futebol, o ex-jogador Branco, minimizou o gesto do atacante.

Se o Fred marcar dois gols por jogo e não comemorar, está ótimo. Não será a primeira nem a última que ele fará isso. O importante é que ele respeitou o Cruzeiro, respeitou o Fluminense e fez os gols comentou o ex-lateral-esquerdo.