Prefeito quer aproveitar instalações provisórias dos Jogos de Londres

JB Online

LONDRES - Em visita ao Parque Olímpico, o prefeito Eduardo Paes anunciou que quer que parte das instalações provisórias dos Jogos de Londres seja aproveitada nas Olimpíadas do Rio, em 2016. Durante toda manhã desta terça-feira, Paes acompanhou as obras dos equipamentos esportivos, que estão sendo construídos dentro de um projeto de sustentabilidade a maioria das instalações não é permanente e, depois dos Jogos, serão removidas e poderão ser reutilizadas.

- O Estádio Olímpico vai ser um estádio de 80 mil lugares e 55 mil desses assentos vão ser retirados depois. Nós já estamos discutindo a possibilidade de que esse material provisório do Estádio Olímpico possa, dentro de uma proposta ecologicamente correta, ser utilizado nos Jogos do Rio de Janeiro. Portanto, é uma discussão que nós vamos começar a travar, mas acredito nesta possibilidade - afirmou Paes.

O prefeito viu de perto também a construção do Parque Aquático considerado a obra de engenharia mais complexa nas Olimpíadas de Londres e que, assim como o Estádio Olímpico, terá uma parte removida depois dos Jogos (apenas 2.500 dos 17.500 lugares previstos serão permanentes). A construção das instalações esportivas e a infraestrutura para 2012 são de responsabilidade da ODA (Olympic Delivery Authority) órgão equivalente à Autoridade Pública Olímpica que ainda será constituída no Rio e vai reunir os três níveis de governo. Depois do encontro com o diretor-executivo da ODA, David Higgins, Eduardo Paes se disse impressionado com o impacto que os Jogos já causaram na cidade. O Parque Olímpico fica numa área de 1 milhão de metros quadrados, localizado em uma antiga zona industrial na parte oeste da capital inglesa e que estava abandonada antes dos equipamentos esportivos começarem a ser erguidos.

- É incrível o que aconteceu aqui. A capacidade de transformação de uma área degradada da cidade, de uma área sem investimentos que passava por problemas graves e que a olimpíada traz. Acho que o grande ganho dos Jogos, além obviamente do esporte em si, é a transformação que eles podem trazer para uma cidade. Não tenho dúvidas de que essa transformação vai acontecer no Rio - disse o prefeito.

No início da tarde, Paes se reuniu com o prefeito de Londres, Boris Johnson, e foi fechado um convênio entre as duas cidades para a troca de experiência na organização dos Jogos. Os dois prefeitos acertaram um termo de cooperação para que a equipe do Rio acompanhe constantemente os preparativos para 2012.

- O que nós decidimos, eu e o prefeito Boris Johnson, é fazer uma espécie de um termo de ajuste entre Londres e Rio de Janeiro e que vai funcionar já a partir do início do próximo ano. A ideia é que as cidades possam ter esse intercâmbio e principalmente o Rio possa aprender com os erros e acertos de Londres - explicou Eduardo Paes.

Paes passou a tarde reunido com técnicos da prefeitura de Londres responsáveis pelo planejamento olímpico. Em seguida, foi para o aeroporto embarcar para Atenas, na Grécia, onde se encontra quarta-feira com o atual prefeito Nikitas Kaklamanis e com Dora Bakoianis, que foi prefeita da capital grega à época dos Jogos em 2004. Na quinta-feira, o prefeito do Rio chega a Barcelona para encontros e reuniões com organizadores das Olimpíadas de 1992.

- É impressionante a experiência de Londres no caso do planejamento. O modelo deles nos mostra como é importante nós termos tranqüilidade neste momento, planejar muito para que as coisas de fato possam acontecer. E, quando começarem, têm que acontecer com rapidez, com custo programado e sem sobressalto - declarou Paes.