Briatore tentará reverter punição com ação em tribunal de Paris

REUTERS

SÃO PAULO - O ex-chefe da equipe Renault Flavio Briatore buscará reverter a decisão que o baniu da Fórmula 1 com um processo num tribunal de Paris na segunda-feira.

- A decisão é um absurdo legal e tenho toda a confiança que os tribunais franceses resolverão a questão com justiça e imparcialidade - disse Briatore em comunicado divulgado neste domingo em que confirma que entrará com a ação na segunda-feira.

Briatore foi punido com o banimento da Fórmula 1 pelo papel que desempenhou no escândalo para manipular o resultado do Grande Prêmio de Cingapura do ano passado.

De acordo com comunicado deste domingo, Briatore alegará que seu direito a uma defesa livre e justa das acusações que sofreu foi cerceado.

Ele dirá também que a punição não foi imposta por um juiz imparcial, já que o chefe do tribunal da Federação Mundial de Automobilismo (FIA) foi o presidente da entidade, Max Mosley.

- Nesse caso, a FIA foi usada como ferramenta de vingança em benefício de um homem - disse Briatore na nota, que acrescenta que ele também buscará receber indenização por conta da punição.

O chefe comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, disse não ter certeza quais poderes teria o tribunal francês.

- Sempre achei que a punição foi um pouco dura demais para o crime - disse Ecclestone, que é amigo e parceiro comercial de Briatore, à Reuters. - Não sei o que o tribunal civil fará, não sei que poderes eles têm.