Maradona diz que não precisa pedir desculpas por frases polêmica

REUTERS

BUENOS AIRES - O técnico argentino Diego Maradona afirmou que não tem porquê pedir desculpas, depois de disparar frases grosseiras contra jornalistas que fizeram críticas a seu desempenho no comando da seleção após a classificação da Argentina para a Copa do Mundo de 2010.

Depois de a seleção argentina ter derrotado a uruguaia por 1 x 0 em Montevidéu, na quarta-feira, garantindo sua classificação para a Copa da África do Sul, Maradona desabafou, atacando a imprensa argentina, que nas últimas semanas vinha fustigando o treinador pelo desempenho fraco da seleção.

- Não tenho que me desculpar. O que houve foi um desabafo... Os que falaram, os que disseram um monte de coisas, sabem muito bem que foram antiargentinos, e isso eu não perdoo -afirmou Maradona, em declarações à Rádio Continental.

A Argentina ficou em quarto lugar nas eliminatórias sul-americanas e se classificou para o Mundial, atrás do Brasil, Paraguai e Chile, mas precisou enfrentar a incerteza até o último instante.

Depois de derrotar o Uruguai com um gol no final da partida, Maradona empurrou os jornalistas que o cercaram para entrevistá-lo. - Eu tenho memória, irmão. Com o perdão das senhoras, que vão chupar e continuem chupando. Sou branco ou negro, cinza eu nunca vou ser em minha vida - disse ele na coletiva de imprensa.

As declarações de Maradona suscitaram uma enxurrada de críticas na Argentina, tanto de dirigentes quanto de ex-jogadores de futebol, alguns dos quais chegaram a pedir sua renúncia como técnico da seleção.