Futuros parceiros, Massa e Alonso tentam selar paz após rusgas

REUTERS

SÃO PAULO - Felipe Massa e Fernando Alonso tentaram mostrar nesta sexta-feira que os fãs da Ferrari não precisam se preocupar com o relacionamento da nova dupla de pilotos da escuderia italiana para 2010.

Depois da confusão provocada esta semana por declarações de Massa afirmando que Alonso sabia da manipulação armada pela Renault na corrida de Cingapura do ano passado, Alonso fez questão de cumprimentar o brasileiro do lado de fora da sala da Ferrari nos paddocks de Interlagos, antes de cravar o melhor tempo do dia nos treinos livres para o Grande Prêmio do Brasil.

- Só nos cumprimentamos, perguntei como estava indo e ele disse 'difícil'. Não falamos sobre o ano que vem, temos uma grande equipe e podemos ter um grande resultado para a Ferrari - explicou Massa em entrevista à imprensa sobre o encontro com o bicampeão mundial da Renault.

Alonso, contratado pela Ferrari para substituir Kimi Raikkonen, nega qualquer participação no escândalo e afirmou nesta semana que ainda não havia falado com Massa desde que assinou o contrato com sua nova equipe, mas que pretendia conversar com ele para aproveitar um pouco da experiência de quatro anos do brasileiro na equipe.

Para o ex-piloto da Ferrari Rubens Barrichello, a dupla Massa-Alonso promete causar "faíscas". Stefano Domenicalli, chefe da Ferrari, no entanto, aposta em uma grande parceria para fazer a equipe reencontrar o caminho das vitórias.

- Temos uma grande dupla de pilotos, que sabe qual é o principal foco, que é a equipe. O Massa está na equipe há anos e sabe como é. Alonso também sabe e tudo vai dar certo - disse ele.

Os dois pilotos sorriram ao posar para fotos se cumprimentado, e em seguida Alonso surpreendeu a todos com o melhor tempo do dia na segunda sessão de treinos em Interlagos. Enquanto isso, Massa, que se recupera do acidente sofrido no GP da Hungria, acompanha tudo de perto dos boxes da Ferrari e se prepara para dar a bandeirada no domingo.

Ele, entretanto, não conseguiu se decidir a quem prefere agitar a bandeira quadriculada. Sentado ao lado de Domenicalli, sua primeira resposta foi:

- Não estamos em grande posição na Ferrari este ano, mas espero dar a bandeirada para nossa equipe.

Em seguida, mudou de opinião:

- Mas também espero dar para o Rubens (Barrichello), será muito legal para o Brasil - resumindo: - Com certeza será um trabalho difícil para mim.

A única certeza para ele é que será muito difícil Jenson Button, companheiro de Barrichello na Brawn, perder o título. Ele tem 14 pontos de vantagem para o brasileiro e, se terminar em terceiro no domingo, garante o título com uma prova de antecedência, independentemente do resultado de seus adversários.

- O Jenson tem mais chances, tem uma boa possibilidade pois pode não marcar muitos pontos e ser campeão. Para o Rubens é muito difícil, mas ele tem que pensar apenas em vencer a corrida, não depende mais só do Rubens - disse.