Xingamentos de Maradona mancham a imagem do ex-craque

Jornal do Brasil

BUENOS AIRES - O desabafo exagerado de Maradona na entrevista coletiva após a vitória que garantiu a classificação da Argentina na Copa do Mundo de 2010 não repercutiu nada bem na imprensa internacional. A enxurrada de palavrões direcionadas aos jornalistas por pouco não ofuscou a classificação da seleção de seu país para o Mundial sem precisar passar pela repescagem - drama vivido em 1993. Ontem, jornais argentinos, italianos, franceses, ingleses e espanhóis repudiaram o comportamento do ex-jogador.

A capa do periódico Olé, principal jornal esportivo do país de Maradona, estampou Quem não chora, não mama , exibindo uma foto do técnico abraçado ao antigo desafeto Carlos Billardo, ex-treinador argentino. Na coletiva, Maradona admitiu ter diferenças com Billardo, mas disse nunca ter parado de falar com ex-treinador. Na foto legenda, destaque para o temperamento do ídolo argentino Grosseiro e briguento .

Comparado a Deus pelos argentinos em Rosário existe até igreja com seu nome , Maradona não gostou de ver seu trabalho questionado e tão logo carimbou o passaporte, ainda na coletiva de imprensa, disparou contra todos os jornalistas.

O tradicional Clarín festejou a classificação, mas não deixou de registrar a atitude de Don Diego e ressaltou os insultos dirigidos a todos os jornalistas e os olhos fulminantes de Maradona. O jornal chamou o treinador de escandaloso na primeira página.

Na Itália, onde Maradona foi ídolo jogando com a camisa do Napoli, a manchete foi Maradona, uma bomba relógio , do La Gazzetta dello Sport, que chamou a atenção para os palavrões e ainda citou a rede de televisão Fox Sports , que foi obrigada a pedir desculpas ao vivo aos telespectadores pelo vocabulário do treinador.

A frase impublicável de Maradona ganhou espaço no inglês The Times. O jornal, inclusive, não assegura a presença do técnico na Copa do Mundo. Os jornais espanhóis, além de reprovarem as grosseiras contra os jornalistas, criticaram Maradona por prejudicar o futebol de Messi, craque do Barcelona, na seleção.

O próprio Lionel Messi reconheceu o rendimento abaixo da crítica.

Sei que na seleção ainda não rendi tudo que posso render no clube garantiu o meia Messi, que defendeu as atitudes de Maradona na coletiva de imprensa cada um reage de um jeito.

Pelé alfineta

Rival histórico de Maradona, mas amigo desde que participou e cantou no antigo programa TV do ex-jogador, Pelé comentou as atitudes de Maradona, após a classificação argentina. Segundo o Rei do Futebol, a experiência foi boa para o novato treinador Maradona sentir o peso do que é comandar uma seleção nacional.

Foi bom para Maradona a Argentina vencer. É bom ela aprender porque está começando ainda afirmou Pelé, em entrevista à Rede Globo.

Mesmo sem nunca ter enfrentado a Argentina em suas vitoriosas campanhas mundiais (1958, 62 e 70), Pelé seguiu a tendência de que Copa do Mundo é o palco das principais seleções e nada melhor do que uma vitória sobres os hermanos para coroar uma possível campanha brasileira rumo ao hexacampeonato, ano que vem, na África do Sul.

- Eu não torcia contra. Sempre digo que ganhar da Argentina é muito melhor brincou o espirituoso ex-jogador.

René é expulso e sai escoltado

Mas não foi só o técnico argentino que chamou a atenção na rodada de quarta-feira pelas Eliminatórias. O treinador brasileiro da Costa Rica, René Simões, também não foi poupado de críticas.

Com boa reputação por ter classificado a Jamaica para a Copa do Mundo de 1998, René assumiu a Costa Rica com a missão de levar o país ao Mundial de 2010. A equipe vencia os já classificados Estados Unidos por 2 a 1, quando René foi expulso ao reclamar da arbitragem e retirado pelos policiais.

Coincidência ou não, sem o treinador, a Costa Rica sofreu um gol nos acréscimos, ficou empatada em pontos com o Honduras e perdeu a vaga direta para Copa, nos critérios de desempate. Agora, a equipe disputa uma vaga na repescagem, contra o Uruguai.