Argentinos ironizam festa de Maradona: 'quem não chora não mama'

Portal Terra

BUENOS AIRES - A imprensa argentina comemorou o fim do sofrimento da seleção comandada por Diego Maradona com muito bom humor. O conhecido jornal esportivo Olé fez questão de ressaltar o choro descontrolado do técnico e maior ídolo local após o apito final do árbitro na vitória diante do Uruguai por 1 a 0 em pleno Estádio Centenário. Com o resultado, a Argentina garantiu sua vaga na Copa do Mundo sem passar pela repescagem.

'Quem não chora não mama' é a manchete do tradicional periódico argentino, que traz uma foto de Bilardo e Maradona se abraçando. A imprensa local dizia que os dois estavam brigados, mas as rusgas foram esquecidas logo depois de o juiz Carlos Amarilla apontar o centro de campo.

- Diego chorou com Bilardo e foi grosseiro e briguento com os críticos - disse a reportagem do Olé, lembrando os gritos que Maradona soltava ao invadir o gramado do Centenário para comemorar a classificação. A imprensa faz também uma brincadeira com o nome de Maradona e cita "Diego Mamando Maradona" em vez de Diego Armando Maradona.

Já o Clarín, outro tradicional jornal local, diz que a "Argentina sofreu, lutou e ganhou um lugar no Mundial", destacando o alívio da torcida depois do triunfo diante do rival Uruguai.

Além disso, o jornal não deixa de destacar a entrevista que Maradona deu após o jogo, quando desabafou contra os críticos ao seu trabalho. 'Coletiva escandalosa com insultos e grosserias para imprensa'.

O La Nación também destacou a vitória no sufoco e citou a comemoração de Maradona como "O festejo do rancor". O jornal coloca também o resultado da partida como "preocupante" e diz que o triunfo aconteceu com erros "desesperados na pior versão de Maradona".

Já o tradicional jornal uruguaio El País lamentou a derrota da seleção celeste e colocou em sua manchete: "Uruguai não pode e seguirá sofrendo", referindo-se à repescagem que a equipe disputará com Costa Rica.