Para Dorival, não há como medir potência cruzmaltina

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Até que ponto vai a força cruzmaltina? Esta é uma pergunta polêmica o suficiente para gerar boas discussões nas mesas de bar. O Vasco é líder da Série B e está a muito pouco de regressar ao grupo de elite do futebol brasileiro. Mas e se estivesse disputando a Primeira Divisão?

As especulações sobre a qualidade do time são intermináveis. Para o técnico Dorival Júnior, a verdade é que não há como pensar no campo da hipótese.

- Eu acompanho a Série A, mas é impossível mensurar colocação e aproveitamento do Vasco. Vi ótimos jogos na Primeira Divisão e outros medíocres, assim como na Série B. Portanto, só participando para tirar saber - disse o técnico.

Há quem prefira ser líder da Série B ao invés de agonizar na Primeira Divisão.

- Prefiro a situação do Vasco porque estamos com mais tranqüilidade para trabalhar do que a situação de Botafogo e Fluminense. De qualquer maneira, entendo que o futebol brasileiro está nivelado - afirmou o lateral Paulo Sérgio.

Ao contrário de Dorival, o lateral acredita que as duas competições estão niveladas.

- Não vejo diferença entre as séries A e B. Na minha opinião, caso estivéssemos na Primeira Divisão, estaríamos em uma boa colocação - disse Paulo Sérgio.

Élton é destaque positivo

Cada competição tem suas particularidades. Deste modo, fica difícil estabelecer que tipo de comportamento teria o Vasco na Série A. No entanto, diante de sistemas defensivos mais vulneráveis, Élton é o jogador carioca com mais gols na temporada. Marcara 24 até a rodada de ontem.

- É de se comemorar o aparecimento de mais um atleta de bom nível. É um jogador que chegou pouco conhecido e confirmou seu potencial - elogiou o treinador, completando: - Élton evoluiu muito esse ano. Ele mudou de posição e se adaptou bem. Quando jogava no Santo André, ele atuava mais pelas pontas. Agora está mais enfiado e perto do gol. Comparo muito ele ao Keirrisson.

Mesmo com a pontaria afiada de Élton, Dorival tem investido muito em treinamentos de finalização. Para ele, nunca é demais melhorar.

- O futebol é repetição e isso pode nos ajudar a cada jogo. Temos de nos cercar para aparar arestas e evoluir sempre.