Downhill no Santa Marta: favela do Rio abriga competição internacional

Marcella Huche, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Entre vielas, lajes e escadarias da favela Santa Marta, em Botafogo, uma competição inusitada. Neste fim de semana, alguns dos melhores nomes do mountain bike downhill 10 brasileiros e seis estrangeiros vão disputar o Desafio no Morro, que distribuirá R$ 35 mil em prêmios.

Referências internacionais do esporte, como os irmãos ingleses Gee e Dan Atherton e o eslovaco Filip Polc, são os favoritos do fim de semana radical. As esperanças de pódio verde-e-amarelo residem no catarinense Markolf Berchtold, heptacampeão pan-americano e brasileiro.

O percurso

Entre a largada, na área conhecida como Mundo Novo, e a chegada, no pé da escadaria principal, o trajeto tem 170 metros de desnível vertical e prevê saltos de até oito metros de altura, além de passarelas e curvas fechadas, com ângulos de até 90 graus. Outras 13 estruturas, como rampas e obstáculos, completam a pista e cumprem as exigências de um percurso de nível internacional. Os donos do 10 melhores tempos deste sábado se classificam para a final, neste domingo, às 10h.

Nesta sexta-feira, os atletas fizeram o reconhecimento da pista, construída em 18 dias, e ficaram impressionados com o alto nível técnico.

O percurso é bastante inclinado e muito estreito, daí não tem como ir muito rápido. É na técnica mesmo comenta o catarinense Markolf Berchtold, um dos atletas mais experientes do mountain bike brasileiro.

Com uma fita métrica na mão, o campeão mundial Gee Atherton examinou detalhes da descida e chegou a registrar apenas 70 centímetros de distância entre as paredes.

Certamente é uma das pistas mais difíceis que eu já vi. As passagens são bem estreitas, o que reduz a nossa margem de erro. Mesmo assim, estou preparado e ansioso por este desafio diz o favorito para ganhar a prova.

Os brasileiros, porém, também buscam as mais altas posições do pódio.

Eles têm mais ritmo de competição, porque participam de muitas provas ao longo do ano. Mas o percurso na favela é uma novidade e um desafio para todos, então temos chances de surpreender diz Berchtold.

Apoio de moradores

O evento conta com a participação de cerca de 100 moradores do Santa Marta, envolvidos em montagem, segurança, alimentação e outros serviços. A favela é ocupada permanentemente pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.

A comunidade tem sede por esporte e cultura e por isso mesmo abraçou este projeto explica José Mario Hilário, presidente da Associação de Moradores do Morro de Santa Marta. Receber uma competição deste porte é mais uma conquista para alcançarmos o estreitamento com a sociedade que buscamos há tantas décadas.

A competição completa uma trilogia de downhill urbano no Brasil: o Desafio dos Profetas (em Congonhas, Minas Gerais, em 2005), o Desafio na Mina de Ouro (em Mariana, Minas Gerais, em 2006) e, agora, o Desafio no Morro.