Confiança no Imperador

Da Redação, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - No jogo que seria o primeiro confronto entre Adriano e Ronaldo, só o rubro-negro estará em campo. Desde que voltaram ao Brasil, atacantes têm desempenho similares em seu clubes

Quando entrar em campo hoje, às 16h, no Maracanã, para enfrentar o Corinthians, o Flamengo terá entre os 11 titulares um dos artilheiros do Campeonato Brasileiro. Com 9 gols em 14 jogos, Adriano pode quebrar um longo jejum no clube, que desde 1982 não faz o goleador máximo da competição na ocasião, com 20 gols, Zico terminou empatado com Serginho Chulapa, do São Paulo.

Desde sua estreia, contra o Atlético-PR, no dia 31 de maio, Adriano tem sido notícia por causa de seus gols e de sua vida agitada fora de campo e nos dois casos ele tem feito bastante para não ser esquecido. Curiosamente, sua contratação foi uma resposta ao principal reforço do adversário: Ronaldo, que não joga por ter fraturado a mão esquerda no clássico contra o Palmeiras, no dia 26 do mês passado.

Amigos fora de campo, Adriano e Ronaldo têm marcas semelhantes desde que chegaram aos seus clubes. O Imperador fez 14 jogos e nove gols, o que dá uma média de 0,64. Já o Fenômeno, com 17 em 27 partidas, tem média um pouco menor: 0,62.

Fora do campo, a maior diferença entre Adriano e Ronaldo é a forma como o contrato de ambos foi negociado. Para manter o Fenômeno no Parque São Jorge, o Corinthians precisou fatiar seu uniforme em várias cotas de patrocínio para complementar os R$ 3,6 milhões por ano de salário que recebe o jogador (cerca de R$ 300 mil por mês). Por acordo, o jogador tem direito a 80% dos R$ 11 milhões que a Bozzano e o Banco Panamericano pagarão ao fim desta temporada para expor suas marcas nas mangas e nos calções da equipe, respectivamente.

Já o acerto com Adriano também teve a ver com o uniforme. Entretanto, apenas uma empresa é parceira do Flamengo na negociação. A Olympikus é a única responsável por complementar o salário do atacante, pagando um pouco mais da metade dos quase R$ 400 mil que recebe o Imperador.

Se estivesse em campo hoje, Ronaldo não teria uma recepção amigável por parte da arquibancada rubro-negra. Desde que acertou sua ida para o Corinthians, Ronaldo comprou briga com a torcida do Flamengo, que esperava que o atacante campeão do mundo em 1994 e 2002 finalmente vestisse a camisa do seu time do coração.

No segundo semestre do ano passado, a expectativa de ver Ronaldo no Flamengo aumentou quando o atacante resolveu se recuperar de mais uma cirurgia no joelho no clube da Gávea. Em São Paulo, Ronaldo se recuperou e já adicionou ao seu longo currículo mais dois títulos: campeão paulista e da Copa do Brasil.

Na apresentação de Adriano, em maio, não foram poucos os torcedores que ofenderam Ronaldo.

Ele é um grande amigo que eu tenho. O retorno dele fez também com que eu pensasse em jogar no Brasil novamente. Ele é um cara que merece todo o respeito e pode ser exemplo para mim , para todas as pessoas, porque ele é um vencedor admitiu Adriano, na época.

Encontro na Palestina

Sem o esperado confronto entre o Imperador e o Fenômeno, o clássico que envolve os dois times de mais torcida no Brasil terá de esperar até o dia 15 do mês que vem, quando Flamengo e Corinthians voltarão a se enfrentar pelo Jogo da Paz, na Palestina com a presença confirmada de ambos.

Andrade quer vitória para subir na tabela

Sem se enfrentar há quase dois anos, Flamengo e Corinthians se encontram no Maracanã em situação bem distinta da última vez, quando o time rubro-negro venceu por 2 a 1, no Maracanã, com gols de Ibson e Roger, no dia 31 de outubro de 2007. Na ocasião, o time paulista lutava para não ser rebaixado e o carioca caminhava para o terceiro lugar no Brasileiro. Desta vez, ambos estão no meio da tabela. Andrade conta com a vitória hoje para subir.

Nosso objetivo é, sim, o título. Mas a primeira meta é chegar ao G4. Estamos andando aos poucos. Teremos um jogo muito complicado. O Corinthians é um grande time, mas precisamos fazer o dever de casa e terminar bem o primeiro turno - afirmou Andrade.

Com apenas 24 pontos em 17 jogos, o Flamengo não tem aproveitado o mando de campo para subir na tabela. Em nove partidas, o time rubro-negro só venceu quatro. Além de perder para o Palmeiras, por 2 a 1, e empatar com o Botafogo, pontos preciosos ficaram no Maracanã em jogos nos quais o Flamengo era o favorito, como nos empates com Barueri, Náutico e Avaí.

O time repete um dos maiores problemas da temporada passada, quando não se classificou para a Taça Libertadores por um ponto. Na ocasião, apesar de ter vencido 11 vezes, o time empatou quatro partidas e perdeu outras quatro. Como agora, perdeu pontos em partidas nas quais era favorito, como nos empate com Goiás e Portuguesa e nas derrotas para Atlético-MG e Vitória. Pontos que faltaram para o time no final do Brasileiro.