Diagnóstico da visão de Massa só deve sair amanhã, diz médico

Portal Terra

RIO - A resposta para a questão se Felipe Massa vai sofrer algum dano na visão do olho esquerdo só virá provavelmente nesta quarta-feira, quando o inchaço na pálpebra diminuir e ele conseguir abrir o olho para realizar exames. É o que diz o presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, Mário Motta, procurado pelo Terra para tentar desfazer a confusão causada pelas versões conflitantes entre o médico do piloto brasileiro e o cirurgião que o operou no sábado.

- O que se tem por enquanto é que ele fez uma tomografia computadorizada e a estrutura do olho não foi rompida, não houve ferimento no olho. O que não se sabe é se houve um corte do osso no nervo óptico. Enquanto Felipe não abrir a pálpebra, não dá para saber se ele terá problemas ou não - disse Motta.

Segundo explicou o chefe do Serviço de Retina do Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro, provavelmente o osso frontal conseguiu proteger o olho da mola que atingiu o capacete de Felipe Massa.

- Não tem como afirmar ainda se o olho vai estar funcionando ou não. Só será definido quando a pálpebra abrir e conseguirem fazer o exame de fundo de olho - disse Motta.

O inchaço tende a diminuir em três ou quatro dias após o trauma. Quando Felipe conseguir abrir o olho esquerdo serão feitos, provavelmente, dois testes: um com o próprio piloto falando se consegue ou não enxergar e o exame de fundo de olho. Neste, o oftalmologista consegue verificar se a estrutura interna está normal.

É possível que Felipe fique com a visão intacta, mas qualquer prognóstico é difícil de ser definido enquanto o piloto brasileiro não conseguir abrir o olho esquerdo. Mas o certo é que uma lesão no nervo óptico, dependendo da gravidade da lesão, é difícil de se recuperar.

- Lesão no globo ocular tem uma recuperação maior ou menor, dependendo do caso. De nervo óptico é mais difícil. Se foi uma pancada só no olho, a chance de recuperação é maior do que se for a lesão de um osso fraturado ferindo o nervo óptico. Trata-se de uma lesão séria e que deixa sequelas, como a perda de um pouco da visão em maior ou menor quantidade dependendo da gravidade. As lesões não são corrigidas com óculos. Ou recupera com medicamentos ou deixa sequela numa parte da visão -explicou.

Enquanto os médicos do Hospital Militar de Budapeste, onde Felipe Massa está internado em uma unidade de terapia intensiva, dão declarações conservadoras sobre seu estado de saúde e sobre sua recuperação, sem garantir sequer se o piloto poderá voltar às pistas, o médico da família, que está em Budapeste, fornece à imprensa uma imagem mais otimista do quadro, garantindo que ele voltará e que tudo está bem. As informações, especialmente sobre como está e como ficará a visão do piloto brasileiro, são contraditórias.

Robert Veres, cirurgião húngaro que operou Massa no último sábado, tem posição cautelosa dizendo que o olho foi machucado, o nervo foi afetado, mas, como o olho ainda está muito inchado, ele prefere não avaliar a extensão. Do outro lado, Dino Altmann, médico particular de Felipe Massa, nega que a globo ocular ou o nervo óptico tenham sido atingidos no acidente.

No sábado, agências internacionais noticiaram que o diretor do hospital em que Massa está internado na Hungria afirmou que o brasileiro corria risco de vida. A notícia foi prontamente rebatida por Altmann e parte da imprensa brasileira. - O médico brasileiro não está examinando, ele tem as informações mas sem examinar. E o médico estrangeiro em geral não gosta de correr riscos. Ele nunca diz que o resultado deve ser bom para não ter nenhum problema depois. Eles preferem sempre ser um pouco mais conservadores na opinião a dizer que está tudo bem. Todo trauma em principio pode ocasionar uma lesão então eles preferem não arriscar até ter uma certeza - opinou Motta.