Pesquisa revela diferenças nos hábitos de corredores homens e mulheres

JB Online

DA REDAÇÃO - Mulheres iniciaram a prática de corrida há menos tempo que os homens, mas são quase tão resistentes quanto eles, indica pesquisa.

Segundo dados do Questionário de Avaliação de Corredores (QUAC), a maior pesquisa sobre corredores já realizada no país, o número de lesões em decorrência da corrida é alto para os dois sexos: 50% em mulheres e 54% em homens

A pesquisa também indicou outro dado importante: metade das mulheres busca orientação profissional em seu exercício, contra apenas 33% do contingente de corredores masculinos.Entre as lesões mais frequentes, as mais relatadas foram tendinite no joelho, dor na coluna, e inflamação da tíbia.

Além de mostrar uma maior preocupação das mulheres, este dado também revela outro índice em relação ao perfil das corredoras, segundo o presidente do Comitê de Traumatologia Desportiva da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e coordenador do estudo, Rogério Teixeira:

- A corrida é um esporte mais praticado por homens, mas as mulheres têm aumentado sua participação nos últimos anos. De qualquer maneira, é uma prática ainda recente para a mulher, o que talvez justifique a maior preocupação com a orientação de um profissional - afirma Teixeira.

Segundo o estudo, que foi realizado pelo NEO - Núcleo de Estudos em Esporte e Ortopedia, entre as corredoras, 48% iniciaram a prática há menos de dois anos, índice que cai para 30% entre os homens.

Em relação às lesões, Teixeira afirma:

- As lesões são causadas muitas vezes por falta de orientação sobre como correr corretamente. Corredores amadores precisam buscar supervisão adequada para a prática do esporte.

Com o objetivo de esclarecer e auxiliar corredores em relação a essa questão, o NEO realiza, em São Paulo, o projeto Saúde no Esporte , que acontece entre os dias 17 e 19 de julho e vai reunir fisioterapeutas e ortopedistas no Parque do Ibirapuera para avaliar e instruir corredores e esportistas.

Com apoio do Ministério dos Esportes e patrocinado pela Janssen-Cilag, o projeto incluirá cursos sobre tratamento de dor e lesões, além de realizar gratuitamente teste de pisada com os corredores amadores.

Outro dado interessante é que a média de quilômetros percorridos por semana se assemelha entre corredores e corredoras. Entre as entrevistadas, 33% afirmaram correr até 25 km por semana, 25% até 50 km e 5% até 75 km. Nos homens, o índice é um pouco maior: 30% percorrem em média 25 km, 33% até 50 km e 9% até 75 km.

- Isso mostra que o importante para conseguir boas performances é o treinamento adequado, independente se é homem ou mulher - conclui Rogério.