Humildade para não tropeçar na zebra

Jornal do Brasil

JOHANESBURGO, ÁFRICA DO SUL - Humildade para evitar a zebra na última partida da Copa das Confederações. Às véspera da decisão com os Estados Unidos, domingo, às 15h30, em Johannesburgo, os jogadores da Seleção se miram no exemplo da Espanha para não correr riscos. Favoritos, os espanhóis acabaram derrotados pelos americanos, nas semifinais, por 2 a 0.

Nem o fato de o Brasil ter derrotado os rivais de domingo por 3 a 0, na fase de classificação, diminui a preocupação dos comandados de Dunga para a partida decisiva.

Com certeza, eles (os americanos) vão consertar os erros que cometeram no primeiro jogo disse o meia Kaká. Eles vêm com a motivação de chegar a uma final, de tentar vencer o Brasil. E a gente, claro, tem a motivação de ser campeão mais uma vez.

O retrospecto entre as duas equipes mostra ampla vantagem brasileira. Em 15 jogos, foram 14 vitórias da Seleção. Os americanos venceram apenas um confronto, em 1998, pela Copa Ouro: 1 a 0.

Além do exemplo espanhol, a Seleção ainda cita a própria classificação para a final como indício de que não terá vida fácil. O Brasil só eliminou a África do Sul aos 42 minutos do segundo tempo, em cobrança de falta do lateral-direito Daniel Alves, que tinha entrado em campo seis minutos antes.

Entramos com humildade diante dos sul-africanos, sabendo que seria um jogo difícil. Sabemos que temos um time muito forte, mas temos que mostrar esforço para vencer qualquer partida afirmou o volante Felipe Melo.

Nesta sexta-feira, os reservas da Seleção treinaram no Orlando Stadium, em Soweto, sob temperatura de sete graus. O treino começou com 45 minutos de atraso porque a delegação ficou parada no trânsito. Os titulares fizeram trabalho físico na academia com o fisioterapeuta Luiz Alberto Rosan e o preparador físico Fábio Mahseredjian.

EUA veem novo passo

O técnico dos Estados Unidos, Bob Bradley, disse que o título pode representar um novo patamar do país nos campos de futebol.

Muita gente gosta de futebol nos Estados Unidos e muitos têm passado mensagens positivas para nós disse o treinador. Todos estão muito orgulhosos de nós. Nosso time já teve grandes resultados, mas nunca ganhou um torneio desta importância. Vencer um campeonato em que participaram Brasil, Espanha, Itália, Egito seria um grande passo para nós.