Pela primeira vez Libertadores só terá campeões nas semifinais

Portal Terra

RIO - A 50ª edição da Copa Libertadores é histórica na semifinal. Com a vitória do Estudiantes sobre o Defensor, nesta quinta-feira, pela primeira vez os quatro times que disputarão uma vaga na semifinal já têm a taça mais cobiçada da América do Sul em sua galeria.

E por pouco também não é a que mais reúne taças. Os três títulos de Estudiantes e Nacional, os dois títulos do Grêmio somados ao bi de Cruzeiro soma 10 títulos. É o recorde desde o momento em que as semifinais voltaram a ser disputada por quatro equipes em duas chaves e não mais em dois grupos com pelo menos três times, como era entre os anos de 1971 e 1987.

Em 1987 três times monopolizavam 12 títulos da Libertadores durante a semifinal: Independiente, da Argentina, com 7, Peñarol, do Uruguai, com 3 e River Plate, com o seu primeiro título.

A última vez em que quase todos os semifinalistas haviam conquistado pelo menos uma vez a Libertadores foi em 2007, que contava com Boca Juniors (então com 5 títulos), Santos (2) e Grêmio (2). Só o Deportivo Cúcuta, da Colômbia, destoava do grupo campeão.

Em 1984, dos seis semifinalistas (divididos em dois grupos), quatro já detinham o título: Independiente (ARG), Nacional (URU), Grêmio e Flamengo. Naquele ano, os argentinos venceram a sua sétima Libertadores (é o maior campeão até hoje) ao derrotar o Grêmio na final.

Somente em duas edições as semifinais não contaram com pelo menos um time campeão: em 1960, primeiro ano da competição, e 1992 quando Newell's Old Boys (ARG), América (COL), Barcelona (EQU) e São Paulo disputaram o título. Foi neste ano que o São Paulo conquistou pela primeira vez a Libertadores.