Dunga diz que teste físico vai definir escalação brasileira

Allen Chahad e Renato Pazikas, Portal Terra

PRETÓRIA, ÁFRICA DO SUL - Dunga, técnico da Seleção Brasileira, avisou que vai aguardar a avaliação física dos jogadores para definir a equipe que enfrentará a Itália, domingo, pela última rodada da primeira fase da Copa das Confederações.

O comandante quer saber quem são os menos desgastados após a vitória por 3 a 0 sobre os Estados Unidos, nesta quinta-feira, em Pretória, na África do Sul.

- Para o próximo jogo, teremos que fazer teste nos jogadores e ver quem tem maior desgaste. Vamos ver quem tem recuperação melhor para poder definir o time - disse.

Além da parte física, o treinador apontou avanço na atuação técnica.

- Não deixamos eles (EUA) fazerem pressão no Brasil e viramos o jogo com velocidade, que é grande característica do futebol brasileiro - disse.

Depois da fraca atuação na estreia, apesar da vitória por 4 a 3 sobre o Egito, Dunga culpou o cansaço físico - principalmente dos atletas que atuam no futebol europeu e estão no final de temporada. Por isso, promoveu quatro mudanças na equipe para o jogo de hoje.

- A minha opinião não mudou. O que mudou foi toda uma situação fisiológica que o doutor explicou para vocês. Agora tivemos tempo de adaptação, conseguimos dosar mais, colocamos alguns jogadores que não vinham atuando e tinham mais energia - disse o técnico.

Três atletas que atuam em gramados brasileiros e estão no meio da temporada entraram como titulares - Miranda (São Paulo), André Santos (Corinthians) e Ramires (Cruzeiro) nas vagas de Juan, Kleber e Elano. Maicon, que vinha de contusão e estava apenas treinando, também ganhou posição e Daniel Alves ficou de fora.

- Eles deram contribuição daquilo que esperávamos deles. Corresponderam perfeitamente - resumiu Dunga.

Já no final do duelo com os EUA, Dunga tirou de campo Kaká, Luís Fabiano e Lucio.

- As substituições foram para dosar os jogadores e tê-los o mais inteiro possível no próximo jogo - contou o treinador, que terá pela frente a Itália no domingo.

Alguém é favorito para o próximo clássico?

- São duas grandes seleções. Quando se enfrentam não dá para saber o que vai acontecer. Vai depender muito do jogo e quem sair na frente vai levar grande vantagem - aponta Dunga.