Dunga mostra bom humor antes de duelo com Estados Unidos

Renato Pazikas, Portal Terra

PRETÓRIA, ÁFRICA DO SUL - Dunga entra na sala de coletiva de imprensa do Estádio Loftus Versfeld. Olha para todos que o cercam e senta. Começa a bateria de perguntas. Cansaço, jogadores poupados, Estados Unidos, Copa 2010 e África do Sul são alguns temas.

Primeira questão: alguém quer saber quantos atletas podem ficar de fora do duelo desta quinta-feira com os Estados Unidos pela Copa das Confederações. O treinador responde com calma.

- Vamos pegar todos os testes feitos. Esse é um teste específico, e não de sangue, que já fizemos. Seria demais fazer dois exames de sangue nos jogadores, né? Eles ficariam sem sangue para jogar - brinca.

A fisionomia do técnico da Seleção Brasileira nem de longe lembra o estilo carrancudo das primeiras entrevistas no cargo. Domingo, antes do jogo com o Egito, e segunda, depois da partida, ele perdeu a paciência com alguns jornalistas em várias oportunidades.

Mas agora ele parece mais light. Uma repórter americana tenta perguntar algo, mas o aparelho tradutor do inglês para o português falha. Ele mantém a calma e brinca com a situação.

- Estão traduzindo em inglês para nós. Fica difícil.

O técnico mostra descontração até para comentar os erros da equipe na vitória por 4 a 3 sobre o Egito.

- A equipe deu uma desestruturada e eles aproveitaram fisicamente. Como a TV local reprisou o jogo cinco vezes, eu vi cinco vezes, até de madrugada.

Dunga ameaça perder o bom humor apenas em uma ocasião. Perguntado sobre a possibilidade de ficar em segundo lugar na chave e a Seleção ter de voltar a Bloemfontein, ele rebateu.

- Eu sou otimista, você é pessimista. Vamos jogar para vencer sempre, é assim na Seleção Brasileira - diz o técnico.