Campeão mundial, técnico vira "bobinho" em treino da Itália

Celso Paiva, Portal Terra

PRETÓRIA, ÁFRICA DO SUL - Com 61 anos e um título de campeão da Copa do Mundo no currículo, o técnico da Itália, Marcelo Lippi, sempre é o primeiro a entrar em campo. O treinador gosta de colocar cone por cone no gramado antes de iniciar os treinos da equipe. Conta os passos, volta atrás, conta mais uma vez. Ajeita a trave, conversa com seus auxiliares e espera a entrada dos jogadores.

Participativo, Lippi não se intimida e participa da roda de "bobinho" com os seus comandados. Durante a movimentação, perde a bola e vai ele para o meio da roda. Mas se engana quem pensa que os jogadores aliviam com o técnico.

Mostrando boa forma, ele corre de um lado para o outro, mas sofre com as brincadeiras dos atletas. É o lado criança que aflora. O mesmo lado que o fez dar muitas risadas durante visita a um parque na tarde de terça-feira, quando brincou com girafas e leões.

E assim segue o treino. Como uma espécie de pai dos atletas, Lippi conversa com alguns jogadores em particular. Além dos auxiliares, pega conselhos com os mais experientes do time: Buffon e Cannavaro. Em seguida, uma reunião com todo o grupo. O assunto: o jogo com o Egito, que pode garantir o time na próxima fase do torneio.

Distribui os coletes. Mudanças à vista. Cinco no total. Entre elas, a entrada do jovem Rossi, autor de dois gols contra os Estados Unidos. Durante o coletivo, o treinador grita, orienta, briga com os erros do seu meio de campo. O treino acaba. Um show de empenho do campeão mundial.