Concentração da Seleção tem samba e videogame

Renato Pazikas, Portal Terra

RECIFE - Serão 29 dias de viagem se o Brasil não cair na primeira fase da Copa das Confederações. Enquanto não estão em campo, os atletas da Seleção ficam o tempo todo na concentração com os companheiros.

Cada um tem a sua maneira de passar o tempo. O principal "evento" são os campeonatos de videogame, já tradicionais entre os jogadores, principalmente os mais jovens como Alexandre Pato e Robinho.

O volante Ramires, que estreou na Seleção no segundo tempo da goleada por 4 a 0 contra o Uruguai em Montevidéu, é um dos adeptos. Defende o Barcelona no futebol, mas abre espaço para outros jogos.

- Gosto muito dos jogos de guerra - diz o cruzeirense.

O samba também marca presença não só na concentração, como no ônibus que leva os jogadores antes das partidas e no avião quando há uma mudança de cidade durante uma competição.

- Sempre descontraímos muito. Tem um samba que a gente não deixa de fazer nunca, anima o pessoal - diz o lateral-esquerdo Kléber, parceiro de quarto de André Santos. Na maioria dos casos, os atletas da mesma posição dividem o quarto na concentração.

Mas a maioria dos atletas gosta mesmo é de gastar o tempo na internet falando com os familiares ou acompanhando o noticiário esportivo. É o caso de Nilmar.

- A gente está acostumado com isso. Eu fico na internet e vejo bastante televisão - diz.