Lucio Flavio tenta retomar seu sucesso no Botafogo

Thales Soares, Jornal do Brasil

RIO - A lista é grande. Basta vestir a camisa alvinegra para o jogador se sentir em casa, ganhar prestígio e ser cobiçado por outros clubes do país e do exterior. Continuar o sucesso é um desafio que raramente tem um desfecho positivo. Por isso, a volta para casa quase sempre é a solução para recuperar a auto-estima e crescer novamente no futebol. Essa é a história de Lucio Flavio, que reestreia neste sábado, às 18h30, com a camisa do Botafogo, contra o Sport, no Engenhão, depois de cinco meses de separação.

Lucio Flavio carrega um estigma que vem de longa data. Maurício nunca foi o mesmo fora do Botafogo depois do gol do título de 1989. Até Garrincha, sempre guardando as devidas proporções, esteve longe de ser o mesmo com as camisas de Flamengo e Corinthians. Diguinho ainda não conseguiu brilhar no Fluminense, clube do qual saiu pelos fundos o zagueiro Renato Silva, hoje no banco do São Paulo.

A ligação que você cria com o clube, os laços de amizade, o ambiente no qual você vive. Aqui, tudo é diferente. Eu me sinto em casa no Botafogo comentou Lucio Flavio. - O jogador, muitas vezes, só deixava o Botafogo por questões que vão além da sua alçada, como o problema do atraso de salários. Voltei com a certeza de que isso não acontecerá novamente.

Contemporâneos de Lucio Flavio, o zagueiro Juninho e o volante Túlio também voltaram ao Botafogo em busca do prestígio perdido. Juninho foi para o São Paulo, amargou a reserva e decidiu aceitar a proposta do clube. Túlio deixou o Brasil para jogar no Japão em 2006. Voltou ao Botafogo em 2007, saiu outra vez no fim do ano passado, mas não conseguiu se firmar no Corinthians, de onde saiu para uma tentativa de recomeço no Grêmio, seu atual clube.

Lucio Flavio começou a carreira no Paraná em 1997 como uma grande promessa. Mas só foi explodir realmente no Botafogo campeão carioca de 2006. A intensa relação com o clube chegou a fazer o jogador pensar mil vezes antes de aceitar uma proposta do Flamengo, algoz alvinegro nos últimos anos.

No fim do ano, tive várias propostas, inclusive do Flamengo. Agora, também poderia ter ido. Aqui, já conheço boa parte do grupo. Tem jogadores mais jovens, mas gosto muito de jogar no Botafogo.

Lucio Flavio participou do jogo de abertura do Engenhão, em 2007, quando o Botafogo venceu por 2 a 1 o Fluminense. A relação com o estádio também é intensa. Ele, inclusive, costuma usar os gandulas a seu favor nas cobranças de escanteio, pois eles já sabem como o maestro alvinegro gosta que a bola seja ajeitada, surpreendendo o adversário.

Vamos ver se a gente consegue a primeira vitória no Brasileiro disse Lucio Flavio, que recebeu cartas de torcedores do Botafogo enquanto estava no Santos.

Súmula

BOTAFOGO: Castillo, Juninho, Leandro Guerreiro e Teco; Alessandro, Fahel, Túlio Souza, Lucio Flavio e Eduardo; Laio e Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

SPORT: Magrão, Igor, César e Durval; Moacir, Hamilton, Luciano Henrique, Sandro Goiano e Dutra; Fumagalli (Weldon) e Wilson. Técnico: Levi Gomes (interino).

Local: Engenhão.

Horário: 18h30.

Arbitragem: Jaílson Macedo Freitas, auxiliado por Luís Carlos Silva Teixeira e Adson Márcio Lopes Leal, todos da Bahia.

Transmissão: Premiere.