Nilmar deixa campo com dores e preocupa Inter e Seleção

Portal Terra

PORTO ALEGRE - Um dos dois atletas colorados convocados para a Seleção Brasileira para a disputa das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010 e para a Copa das Confederações, o atacante Nilmar deixou o campo com dores nesta quarta-feira, durante a vitória do Internacional sobre o Coritiba por 3 a 1, na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil.

O camisa nove colorado, que assim como Kléber foi convocado e desfalcará o Inter nos próximos jogos, sofreu uma forte pancada na altura do quadril e deixou o gramado para a entrada de Alecsandro ainda no primeiro tempo, virando motivo de preocupação no clube.

Na entrevista concedida após a partida, o técnico Tite demonstrou a sua revolta com a violência na marcação de Nilmar nos últimos jogos. O treinador acredita que os critérios aplicados pela arbitragem não estão sendo iguais e cobrou mais atitude dos homens do apito.

Na fase anterior da mesma Copa do Brasil, contra o Flamengo, o jovem atacante sofreu um pisão no peito do volante Airton, fato que será avaliado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nos próximos dias.

- Não tenho culpa e o Internacional não tem culpa de termos jogadores velozes e ágeis na frente. O Nilmar foi pisoteado e depois o jogador teve que ser denunciado. Aí sofre, não treina e segue levando pancada. A violência não é coibida. Só quero critérios iguais - reclamou Tite.

Apesar das reclamações, o treinador gostou da produtividade de sua equipe, que saiu perdendo e conseguiu a virada. Na próxima semana, o Inter desembarca em Coritiba podendo até perder por 1 a 0.

- A vantagem é importante, mas não é definitiva. Teremos que ter desempenho e personalidade para conquistarmos o resultado lá. A equipe jogou bem. Por isso, que o Taison apareceu - opinou o treinador colorado, citando mais uma vez o seu artilheiro, que tem feito a diferença na temporada.

A vitória no Beira-Rio deixa o clube gaúcho próximo de sua segunda final da Copa do Brasil. Mais do que isso, mantém o sonho do Inter conquistar todos os títulos no ano do seu centenário. O caminho é longo, mas Tite tem a receita.

- O grupo vêm construindo as vitórias. O grupo tem simplicidade, não tem arrogância, nem ostentação. O espírito do grupo é importante para que as individualidades apareçam. Temos que pensar a cada dia, em cada treino. Temos que ter equilíbrio. Estamos contentes, mas não eufóricos. Temos que ter equilíbrio e respeito a todos os adversários - finalizou.