Em mais de duas horas, Sharapova bate compatriota

Portal Terra

PARIS, FRANÇA - Ainda em busca da sua melhor forma após uma lesão no ombro direito que a deixou nove meses afastada do circuito da WTA, Maria Sharapova garantiu presença na terceira rodada de Roland Garros. Nesta quarta-feira, a russa venceu o duelo diante da compatriota Nadia Petrova, por 2 sets a 1, na quadra Suzenne Lenglen, em Paris.

Sharapova teve bastante trabalho diante da rival, 11ª cabeça de chave do Grand Slam francês, mas alcançou a vitória com parciais de 6/2, 1/6 e 8/6, em duas horas e 12 minutos de jogo.

Na próxima rodada, Sharapova, que nunca venceu um título no saibro de Roland Garros, enfrentará Yaroslava Shvedova, do Cazaquistão, que passou pela holandesa Arantxa Rus por 2 sets a 0, com parciais de 6/0 e 6/2.

Após vencer com contundência o primeiro set por 6/2, Sharapova ficou sem foco durante o jogo e perdeu dez dos 13 games subsequentes até se ver em larga desvantagem na terceira parcial, na qual chegou a sacar em 2/4 e 15-40. Superando-se, a musa confirmou seu serviço e foi buscar a quebra de volta no de Petrova, salvando-se de dois break points para fazer 5/4.

Sacando bem, a tenista menos famosa seguiu viva no jogo e teve uma chance para construir o marcador de 7/6 negada pela antiga número um do mundo. Nervosa, a 11ª colocada do ranking cometeu uma dupla-falta e errou duas direitas não forçadas na seqüência.

O jogo, além de ter sido emocionante, ainda teve contornos de rivalidade. Apesar de ter nascido na Rússia, Sharapova não costuma se dar muito bem com as conterrâneas, visto que, diferente delas, passou a viver nos Estados Unidos ainda adolescente.

Nesta quarta, ela chegou a se desentender com Petrova devido a uma marcação polêmica do juiz de linha na segunda parcial, sendo que na terceira vibrou a cada ponto, inclusive nos equívocos da oponente.

Ao vencer, a tenista siberiana aproveitou para confirmar a supremacia no confronto direto com a moscovita, que agora foi derrotada em seis dos sete encontros já realizados.

A batalha deve servir ainda como injeção de confiança na atual 102ª colocada do ranking de entradas, que retornou às quadras na semana passada, parando nas quartas-de-final do Torneio de Varsóvia.