Contra má fase, Ceni pede que elenco do São Paulo se ajude

Portal Terra

SÃO PAULO - Diante do retrospecto pouco favorável do São Paulo nos últimos jogos (eliminação do Campeonato Paulista e estreia com derrota no Campeonato Brasileiro, por exemplo), o goleiro e capitão Rogério Ceni, afastado dos gramados depois de fraturar o tornozelo esquerdo, tem uma receita para o fim dos resultados negativos. Para ele, os jogadores terão que se "ajudar mutuamente" se quiserem voltar a alegrar os torcedores.

De volta ao CCT da Barra Funda para dar andamento ao seu processo de recuperação, depois de operar o tornozelo, Ceni só não sabe como fará para colaborar com seus colegas.

- Na verdade, eu não sei. O que eu posso dizer é que eles terão que se ajudar mutuamente. Na Libertadores, são seis jogos que os separam do título, jogos que podem valer um ano inteiro - disse Ceni.

- É essa a consciência que eles têm que ter e colocar isso em prática, usando a vantagem que conseguiram na primeira fase. O que eu posso fazer é incentivar, dar força, é nesse aspecto que posso ajudar - afirmou Ceni, que disse não sentir mais dores na região fraturada, exceto quando está em tratamento.

- Quando estou parado não (sinto dores), agora posso até apoiar o pé no chão com a proteção. Só sinto algum incômodo no fortalecimento, que tenho que fazer força nos movimentos e a musculatura não está tão forte. Fazer gelo também é desconfortável - disse Ceni, que pode voltar aos gramados em quatro meses, surpreendendo a expectativa dos médicos.