Sem dinheiro, Vasco aposta em novatos na Segundona

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO - Sem dinheiro em caixa, o diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano tem se desdobrado para atender aos insistentes pedidos de Dorival Júnior para reforçar o Vasco. Por enquanto, o clube acertou a contratação de quatro reforços: os atacantes Magno, ex Brasil de Pelotas, e Aloísio Chulapa, ex-Al Rayyan, do Catar, o lateral-esquerdo Pará, ex- Bragantino, e o zagueiro Rafael Mourisco, ex- Chapecoense. Devem se juntar ao grupo nos próximos dias, o atacante Robinho, ex-Volta Redonda, e o lateral-esquerdo Ernane.

O elenco vai ficar mais qualificado com a chegada deles, mas vou solicitar aos nosso diretor mais reforços, isso sem que o clube faça nenhuma loucura disse o técnico Dorival Júnior, que encheu a bola do lateral-esquerdo Pará e do zagueiro Rafael Mourico.

O Pará é muito versátil e jogava também como meia-esquerda e segundo volante quando o conheci no São Caetano. No Bragantino, ele também fez campanhas muito regulares.

Outro elogio foi para o zagueiro Rafael Mourisco, conhecido em em seu ex-clube como Canhão de Chapecó.

Ele fez um excelente campeonato catarinense. Começou a carreira como lateral-esquerdo e depois se fixou como quarto zagueiro explicou o treinador, que pediu a sua contratação há dois meses. Ele é rápido, tem bom tempo de bola e, se repetir as atuações do último campeonato, tem tudo para se firmar no time.

Camisa de peso

Na apresentação oficial, os dois novatos não se desgrudaram nem com o fim das entrevistas. Pareciam compartilhar juntos a experiência de vestir pela primeira vez a camisa de um clube de tradição. Entre sorrisos contidos e uma certa timidez, o dois sonham em alçar voos maiores. Mais extrovertido, o lateral Pará foi explicando logo de cara a origem do seu apelido.

É Pará porque sou paraense. Meu nome é um pouco complicado explicou o jogador, revelando o nome de batismo: Erinaldo.

Ciente que terá dificuldades de ganhar uma vaga no time por causa da grande fase de Ramon, o lateral não perde as esperanças.

Vai ser uma tarefa difícil, mas vou tentar mostrar o meu trabalho. Não estou aqui à toa e espero comer pelas beiradas.

Em situação mais confortável, já que a zaga reserva de hoje é uma incógnita, Mourisco mantém a esperança de jogar.

Vou fazer o que fiz no campeonato catarinense. Se me derem uma oportunidade para jogar posso fazer um bom trabalho disse o jogador de 22 anos, que irá usar a camisa 48.