Chefão do futebol do Vasco alia trabalho e fé no sucesso

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO - Uma discreta medalhinha de Nossa Senhora de Caravaggio é o escudo protetor de Rodrigo Caetano, o homem que reformulou o futebol do Vasco. A santinha italiana sempre fez parte da sua vida desde pequeno, ainda em Santo Antônio da Patrulha, cidade gaúcha em que nasceu. Foi lá que Rodrigo aprendeu com os pais a visitar a Basílica de Nossa Senhora, na cidade de Farroupilha. Quando seu filho Martin completou dois meses, ele percorreu o mesmo caminho para pedir proteção ao herdeiro. É contando com as bênçãos da santa e na força do seu trabalho que o dirigente espera levar o Vasco de volta à Série A.

Sou extremamente católico, minha vida sempre foi pautada pela fé. E o retorno a Série A é forma de escrever uma página na história do Vasco. Participar desse projeto é um privilégio disse o dirigente que se esquivou com bom humor quando perguntado se havia feito alguma promessa para Nossa Senhora. Não falo em promessa porque se a gente fala perde a força. No final do ano te conto, o que pedi.

Rodrigo Caetano confessou também ser devoto de São Expedito, santo das causas impossíveis.

Também sou seu devoto, mas tenho certeza de que não vou precisar apelar para ele.

Sem dispensar a fé, mas acreditando no grupo que ajudou a montar,e Rodrigo sabe da dura missão que tem pela frente.

O Vasco entra com muita responsabilidade na Série B. Temos que convencer e fazer uma boa campanha ressaltou o dirigente, que espera contar com o décimo segundo jogador. A torcida do Vasco é muito fiel e tem que estar do nosso lado nesta caminhada. Ela vai nos empurrar neste caminho de volta.