Com recorde mundial, Felipe França põe fim a jejum nacional de 27 anos

Jornal do Brasil

RIO - Ano passado, às vésperas da Olimpíada de Pequim, Felipe França recebeu uma ordem de seu técnico: parar de fazer musculação. Com 1,86m e 94kg, o paulista de Suzano tinha o corpo considerado forte demais para ainda ganhar massa muscular nos treinamentos. Na capital chinesa, Felipe terminou em 22º lugar na prova dos 100m peito. Nesta sexta-feira, tornou-se o primeiro brasileiro a quebrar um recorde mundial em piscina longa (de 50m, a mesma usada nos principais Mundiais e em Olimpíadas) desde 1982. Ele nadou os 50m peito em 26s89, superando a marca de 27s06, que pertencia ao sul-africano Cameron Van der Burgh, até então o dono do melhor tempo do planeta. A façanha foi obtida na disputa do Troféu Maria Lenk, na Barra.

Felipe França conseguiu um feito que nem Gustavo Borges nem Fernando Scherer alcançaram: um recorde em piscina de 50m. O último brasileiro a conquistar isso foi Ricardo Prado nos 400m medley, em Guaiaquil, no Equador, há 27 anos. Na época, Felipe nem era nascido o nadador tem 21 anos.

Eu já estava esperando por isso. Desde o ano passado venho buscando esse recorde mundial contou Felipe. A pressão vinha me atrapalhando, mas o fato de eu ter disputado a Olimpíada de Pequim ajudou a quebrar essa barreira. Agora a gente vê, como eu vi meu amigo César Cielo fazendo, que não é tão difícil assim.

O novo recordista competiu com o maiô Jaked, uma das versões dos uniformes de alta tecnologia desenvolvidas neste ano. O paulista conseguiu a nova marca mundial nas eliminatórias dos 50m peito, prova que não é disputada em Olimpíada, mas consta do programa dos Mundiais. Com o tempo, ele quebrou ainda o recorde sul-americano, que estava em poder de Felipe Lima (27s58) desde a edição do Troféu Maria Lenk do ano passado. Neste sábado, a partir das 10h, ele disputa a final dos 50m peito. E deixou no ar a chance de melhorar o tempo.

Acho que tenho lugar para melhorar. Mas tudo depende de como eu acordar disse ele.

Ano passado, Felipe França conseguiu a vaga olímpica após disputa acirrada dos 100m peito. Após garantir-se em Pequim, ele ajoelhou-se e chorou.

Marcas expressivas na semana

Nesta semana, outros brasileiros conseguiram resultados expressivos no Maria Lenk. César Cielo, campeão olímpico dos 50m livre, fez o quinto melhor tempo da história na prova (21s33). Henrique Barbosa completou os 200m peito com a terceira melhor marca de todos os tempos (2min08s44).