Com show e 2 de Ronaldo, United amplia tabu e volta à final

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Em pleno Emirates Stadium, em Londres, o Manchester United mais uma vez não deu chances a um rival inglês na Copa dos Campeões e garantiu presença em mais uma final da competição, em que buscará o bicampeonato. No dia em que ampliou tabus contra rivais do mesmo país e encerrou longa invencibilidade do Arsenal como mandante, o time deu um show em campo, calou a torcida local e contou com dois gols do astro Cristiano Ronaldo para vencer o Arsenal por 3 a 1 na tarde desta terça-feira.

Invicto há 21 jogos no estádio no Campeonato Inglês e sem conhecer derrotas nos últimos 24 compromissos pela competição européia, o Arsenal precisava reverter a resultado de 1 a 0 do primeiro jogo, realizado em Old Trafford. No entanto, os visitantes souberam definir a classificação nos primeiros minutos de bola rolando e seguem sem ser eliminados por um rival inglês em torneios continentais.

Além de sustentar o domínio em mata-matas ingleses, o Manchester viu novo fracasso do Arsenal, que não levanta um troféu desde 2004. O time londrino jamais levou a melhor contra uma equipe nacional em torneios europeus e, antes da derrota em Old Trafford, sustentava uma série invicta de 20 jogos, que durava desde novembro do ano passado. Já o United não é derrotado na Copa dos Campeões desde a semifinal da edição de 2006/2007, quando caiu no San Siro por 3 a 0 para o então campeão Milan, de Kaká.

Garantido em mais uma decisão, o atual campeão inglês, continental e mundial espera agora a definição do confronto entre Barcelona e Chelsea, que terminou no empate sem gols na primeira partida, na Espanha. As duas equipes voltam a se enfrentar nesta quarta-feira, desta vez no Stamford Bridge, em busca de uma vaga na final que será disputada em Roma.

Com o direito de jogar pelo empate para decretar nova eliminação aos rivais, o Manchester precisou de poucos minutos para aumentar a vantagem e acabar com as esperanças do Arsenal. Com apenas 7min de bola rolando, o sul-coreano Ji Sung Park foi mais esperto que a zaga mandante ao aproveitar uma sobra de Gibbs e tocar para as redes de Almunia. E três minutos depois, a estrela de Cristiano Ronaldo começou a brilhar em uma cobrança de falta, que mesmo de muito longe, não deu chances de defesa.

Após o início arrasador e a proximidade da classificação, os visitantes diminuiram o ritmo, mas ainda assim chegaram ao terceiro gol em um contra-ataque mortal. No início da jogada, Cristiano Ronaldo deu passe de calcanhar para Park acionar Rooney e partiu em velocidade. Em boa situação, o inglês serviu novamente o português, que bateu de primeira e fez o terceiro do Manchester, encerrando de vez as chances do Arsenal de reagir.

No fim, aos 30min, o time de Wenger ainda teve forças para buscar o gol de honra e chegar aos 4 a 1 no placar agregado. Em tabela rápida pelo meio, Fábregas foi derrubado quando se preparava para finalizar e viu Fletcher ser expulso pela falta. Na cobrança do pênalti, Van Persie acertou o ângulo esquerdo de Van der Sar, mas nem assim diminuiu a festa do Manchester em pleno Emirates.