Aposentadoria após título: Fábio Luciano confirma fim da carreira

Julio Calmon, Jornal do Brasil

RIO - A delegação rubro-negra que embarca nesta terça-feira para Fortaleza, onde o Flamengo faz o jogo de volta das oitavas-de-final da Copa do Brasil, mais uma vez terá o desfalque do capitão Fábio Luciano. Desta vez, porém, o zagueiro não foi poupado por causa das dores crônicas no tendão de Aquiles. Tampouco será preservado para a estreia rubro-negra no Campeonato Brasileiro, no domingo, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte. Nesta segunda, na Gávea, um dia depois de levantar o troféu do quinto tricampeonato para o Flamengo, Fábio Luciano confirmou o fim de sua carreira como atleta profissional.

Como foi dito no dia 3 (de abril), estou saindo. Fiz meu último jogo ontem (domingo). Agora segue uma nova etapa na minha vida. Quero agradecer muito ao torcedor do Flamengo pelo carinho que demonstrou disse o capitão, que levava um ar de mistério até o fim da decisão do Campeonato Carioca sobre sua aposentadoria. Algumas ótimas lembranças consigo guardar em fotos e imagens, outras só no coração. Quero dizer para a torcida do Flamengo que torcida nenhuma conseguiu me marcar tanto.

Fábio Luciano deixa o futebol aos 34 anos. Os inúmeros pedidos de torcedores e companheiros de equipe não foram suficientes para que o zagueiro rubro-negro mudasse de ideia. Ronaldo Angelim, por exemplo, liderava uma campanha dentro do elenco para tentar convencer o capitão a seguir com o resto do time até o fim da Copa do Brasil.

Eu não cheguei a balançar, mas fiquei muito sensibilizado. Todos os pedidos me emocionaram muito comentou Fábio Luciano, que tirará dois meses para viajar com a família depois do Dia das Mães. Eu tenho alguma ideia do que vou fazer. Não sei se vou agenciar jogadores ou tocar algum projeto aqui no Flamengo.

Nascido em Vinhedo, no interior paulista, o zagueiro começou a carreira na Ponte Preta. Depois passou por clubes de massa, como Corinthians, Internacional e Fenerbahce. Antes de chegar ao Flamengo, Fábio Luciano vinha de uma passagem não muito bem-sucedida no Colônia, da Alemanha. Depois de operar o púbis, estreou no dia 11 de agosto de 2007, na vitória de 2 a 1 do Flamengo sobre o Náutico. Triunfo que foi o ponto de partida para a incrível arrancada rubro-negra para a Taça Libertadores da América. A identificação com a torcida do Flamengo foi imediata.

Tentando segurar as lágrimas, o zagueiro se desmanchou em elogios à massa rubro-negra que lotou três quartos do Maracanã no domingo, incentivando o Flamengo para mais um tricampeonato.

Eu vejo a alegria dos roupeiros em trabalhar aqui e me emociono. Jogar no Flamengo é bom demais emocionava-se Fábio Luciano. Foi um marco na minha vida. Tudo que fiz aqui foi de coração. Estou abrindo mão disso tudo por causa de minha família. Não é por dinheiro.

A principal razão para ter abandonado o futebol está em casa. Fábio Luciano se diz cansado de ter privações.

Minha esposa perdeu um filho com três meses de gestação, às 10h, e eu só soube à meia-noite depois de um jogo da Libertadores. Também não vi meu filho, Gianluca, nascer, a maior frustração que tenho na vida. Ele é a pessoa que mais amo ao lado da Isabela (outra filha). Só fui vê-lo 40 dias depois do parto.

Lado torcedor

A partir de quarta, o Flamengo ganha mais um torcedor na arquibancada. O próprio Fábio Luciano já parece estar gostando da situação.

Quando fui expulso no domingo, vi que não poderia fazer mais nada e só fiquei torcendo. Ali, percebi o sofrimento do outro lado. Foi um bom início como torcedor disse o agora ex-zagueiro.