Fla-Flu: aptidão esportiva em outra geração

Jornal do Brasil

JULIO CALMON - No início do século passado, a grande paixão nacional não era o futebol. As disputas de remo reuniam os jovens e torcedores mais inflamados. Já naquela época, o Flamengo era um clube querido pela população carioca. No início, o futebol era um esporte elitista, mas logo começou se tornar popular. Antes de ter um departamento de futebol, muitos atletas e sócios do Flamengo torciam para o Fluminense, pois as sedes eram vizinhas.

Alberto Borgerth era um dos que se dividiam na paixão clubística campeão por Fla e Flu. Abandonou o futebol para se dedicar à medicina, mas retornou ao Flamengo para ser presidente do clube, em 1927.

Irmãos esportistas

Matheus e João Pedro não precisaram se dividir. Mas eles ao menos herdaram a aptidão para o esporte. Além do futebol, costumam jogar tênis quando frequentam o clube Caiçaras, na Lagoa.

Matheus é o goleiro da equipe de futebol de salão do colégio Santa Marcelina, no Alto da Boa Vista, na Copa Nike que reúne estudantes de várias partes da cidade. Conhecedor do esporte, acredita que falta pouco para o Flamengo ter um time equilibrado. O que talvez Adriano conseguirá fazer se vestir a camisa rubro-negra mais uma vez.

Falta ajeitar o ataque. Emerson, Josiel e Obina são bons jogadores, mas não estão conseguindo se acertar. Torço para que o Adriano acerte logo nosso ataque. Mas ainda duvido que ele vá se dedicar aos treinos quando chegar comentou Matheus.