Diretoria do Flu tenta fechar pacote de reforços

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - A eliminação na semifinal da Taça Rio e a perda inevitável de jogadores no meio do ano, como Thiago Neves, levaram a diretoria do Fluminense a buscar reforços pedidos pelo técnico Carlos Alberto Parreira. O coordenador de futebol Alexandre Faria confirmou as negociações com o lateral-direito Diogo, do Corinthians, e do volante Bida, que está no Vitória.

São dois jogadores que realmente interessam ao Fluminense e estamos esperando terminar as finais do Campeonato Paulista e do Campeonato Baiano para sentar novamente com as respectivas diretorias a fim de concretizar essas negociações. As duas situações são muito parecidas explicou Alexandre Faria.

Uma das maiores preocupações do Fluminense é justamente com a lateral direita. Carlinhos e Rafael não convenceram no ano passado e foram dispensados. Agora, o time conta com Mariano e Eduardo Ratinho, nada que tenha impressionado a torcida ou o treinador.

Alexandre, inclusive, confessou a tentativa de contratar Wagner Diniz, atualmente no São Paulo. Mas o clube acabou rejeitando a proposta e chegou a oferecer Joilson, que não interessou.

Tentamos o Wagner Diniz, mas não conseguimos. O São Paulo ofereceu o Joílson, mas esta contratação não nos interessou. Antes disso, buscamos informações para poder negociar com Vitor, do Goiás, mas os valores pedidos foram muito altos e fora da realidade do futebol brasileiro. Cerca de 4 milhões de euros (R$ 11,6 milhões) disse o dirigente.

Com relação a Bida, o jogador atuou pelo Santos no Campeonato Brasileiro do ano passado com certo destaque. O excesso de volantes no elenco não preocupa o dirigente, que aposta na versatilidade do jogador.

Bida não é aquele jogador que atua somente na marcação, como primeiro volante. Ele tem boa saída de jogo e pode ser escalado como terceiro homem, na criação das jogadas. Se fosse comparar as posições, ele tem mais o estilo do Leandro Bomfim do que o do Diguinho explicou.