Vazias, bilheterias do Atlético-MG são tomadas por rivais

Ney Rubens, Portal Terra

BELO HORIZONTE (MG) - A disparidade entre Atlético-MG e Cruzeiro não fica apenas no placar do último jogo, 5 a 0, e no retrospecto favorável à equipe celeste de 11 jogos sem derrota para o maior rival.

Nesta quinta e sexta-feira a diferença ficou visível também nas bilheterias onde são vendidos os 64,8 mil ingressos para o segundo jogo da decisão do Campeonato Mineiro, domingo, no Mineirão.

O mando de jogo é do Atlético e em reunião com a Federação Mineira de Futebol ficou definido que cada clube terá 32,4 mil ingressos.

Do lado cruzeirense, milhares de torcedores passaram pelas filas dos postos de venda. A demora chegou a seis horas e muita gente reclamou quando alguns setores esgotaram ainda durante a manhã de quinta.

Já do lado alvinegro, os três pontos de venda estão vazios. E por ironia, a maioria dos ingressos comercializados nestes locais foi vendida para cruzeirenses.

Segundo a Federação Mineira de Futebol, somente ontem foram vendidos 19007 ingressos para a torcida cruzeirense e apenas 778 para torcedores atleticanos, numa proporção de 20 para 1.

Um cruzeirense que foi comprar na sede do Galo é o estudante Guilherme de Castro Amorim.

- Está super tranquilo aqui. Fui na sede do Cruzeiro, estava lotado, então estou aqui. O título é nosso e domingo o placar será cinco de novo - disse.

Quem também garantiu sem filas ou atropelos o seu ingresso foi o professor Ricardo Moreira:

- Estou aproveitando que o guichê do Galo está vazio, e como eu quero ir cadeira (cativa), é mais fácil. A fila no Cruzeiro está insuportável, a gente que trabalha não tem tempo e eu aproveitei para comprar aqui - explicou.

Em 30 minutos no posto que funciona na sede administrativa do Atlético, em Lourdes, o único torcedor alvinegro que apareceu foi o descrente Vitório Galinari, que mesmo sem acreditar na reação da equipe, garantiu três ingressos para o clássico.

- Vamos perder de novo, estou descrente. Não vai dar certo, ainda mais que temos que fazer cinco no domingo e quatro na quarta. Domingo não tem mais jeito, vamos ver se guardam um pouco pra quarta-feira - disse.

Na próxima quarta-feira o Galo precisa vencer o Vitória-BA por quatro gols de diferença para classificar na Copa do Brasil. No jogo de ida, ontem, a equipe perdeu por 3 a 0 em Salvador.