Santos adota "lei do silencio" antes de final

Portal Terra

SANTOS - O Santos adotou a lei do silencio até o próximo domingo, dia do jogo contra o Corinthians, às 16h, no Pacaembu, pela final do Campeonato Paulista. A decisão partiu da diretoria do clube e contou com o aval do técnico Vagner Mancini.

Desta forma, a partir desta quarta-feira, nenhum jogador concederá entrevistas no CT Rei Pelé. O volante Roberto Brum, que estava escalado para entrevista, foi avisado que não precisará se pronunciar.

Na última terça-feira, o técnico santista já havia cancelado a entrevista do meia-atacante Madson, que estava marcada apos o treino pela manhã. Para evitar um desgaste com os jornalistas que estavam no treino, Mancini resolver conceder a entrevista no lugar do jogador.

A intenção de Mancini é evitar qualquer declaração que possa incentivar o Corinthians para o duelo deste domingo. O exemplo maior foi o do vice de futebol do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que chamou o atacante Ronaldo de ex-jogador em atividade. Na partida seguinte, Ronaldo marcou um gol e deu um lançamento para o de Douglas.

Além de evitar palavras polêmicas, Mancini aparentou na última terça-feira, em entrevista, estar um pouco irritado com alguns jornalistas. O comportamento do técnico foi diferente das últimas vezes que havia comparecido à sala de imprensa, no CT Rei Pelé.

Sempre que você perde um jogo existe a necessidade de achar um culpado, não estamos aqui para achar culpados, o Santos chegou aqui graças ao Mancini, o Fábio (Costa), o Kléber (Pereira), temos que ter muita calma e não aceitar tudo o que se fala e escreve por ai disse.

Aquilo que se fala e escreve não tem importância para mim. Eu tenho a minha auto-critica e por isso não vou ler jornal. A minha vida sou eu que conduzo, o sucesso é o trabalho no dia-a-dia disparou Vagner Mancini.