McLaren escapa de punição severa por 'mentira'

Portal Terra

LONDRES - A McLaren escapou nesta quarta-feira de uma severa punição por causa da mentira contada no GP da Austrália de Fórmula 1 deste ano, envolvendo o campeão mundial Lewis Hamilton. O Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) se reuniu para julgar o caso e decidiu punir a equipe com três corridas de suspensão, isso no caso de ela voltar a infringir o Código Esportivo Internacional nos próximos 12 meses.

- Levando-se em conta a forma aberta e honesta com que o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, encarou o caso e a mudança na cultura que ele deixou claro que acontecerá em sua equipe, o Conselho decidiu suspender a aplicação da pena que julga apropriada - disse a FIA, por meio de um comunicado oficial.

- Essa penalidade é uma suspensão da equipe de três corridas do campeonato do mundo de Fórmula 1 da FIA e somente será aplicada se surgirem fatos adicionais a respeito do caso, ou se, nos próximos 12 meses, houver uma infração adicional da escuderia ao artigo 151 do Código Esportivo Internacional - afirmou a entidade.

Na primeira prova da temporada, em Melbourne, Hamilton permitiu que Jarno Trulli o ultrapassasse enquanto o safety car estava na pista. O fato, porém, foi omitido pelo atual campeão mundial - no depoimento sobre a manobra irregular - e o italiano da Toyota perdeu a terceira posição obtida na prova.

Depois disso, imagens da ultrapassagem foram analisadas pelos comissários de prova da FIA e o terceiro lugar foi devolvido a Trulli, com Hamilton sendo desclassificado da corrida - o inglês, aliás, confessou depois da punição, já na Malásia, que recebeu a ordem da McLaren para deixar o italiano passar.