Ex-jogador é condenado à morte nos Emirados Árabes

Agência AFP

DUBAI - Um ex-jogador da seleção de futebol dos Emirados Árabes Unidos foi condenado à morte, ao lado de outros dois réus, pela morte de um homem a punhaladas em uma briga de rua. Fayez Jomaa, o irmão Moussa e Mohammad Najib, outro jogador, foram considerados culpados pelo assassinato de ''J.J.'', com um sabre e uma faca em maio de 2008.

Apesar da pena de morte estar na lei dos Emirados Árabes, sobretudo por assassinato e tráfico de drogas, raramente acontecem execuções no país.

O advogado da família da vítima, Abdelhamid al-Koumaity, declarou que seus clientes reclamaram uma indenização de um milhão de dirhams (US$ 272 mil).

Os acusados estavam embriagados e apunhalaram a vítima no rosto, pescoço e nas costas.

O advogado de Fayez Jomaa, Ismail al-Saffar, afirmou que apelará da condenação por morte com premeditação alegada pelo promotor.

O tribunal também condenou a penas de prisão entre três e seis anos os outros envolvidos no caso.